Cachorro herói salva menina da picada de uma cascavel

O cachorro se colocou entre o réptil e a menina, levou a picada da serpente e se tornou herói.

Haus é um pastor alemão que se tornou herói em Tampa, na Flórida, e em todos os EUA. Ele vive com a família De Luca e foi responsável por salvar a vida da tutora, Molly, de sete anos, de uma picada de serpente.

O pastor alemão vive há algum tempo com o casal Donya e Adam De Luva e seus dois filhos, Molly e Joey, de quatro anos. A serpente entrou no quintal da casa da família, onde as crianças costumam brincar todos os dias.

cachorro-salva-tutora-de-picada-de-serpente

O salvamento

Haus sempre foi considerado parte da família e todos gostam dele, inclusive os vizinhos. O pastor alemão é muito atento e leal, demonstrando cuidados especiais com as duas crianças, de quem nunca se afastam quando elas estão em casa.

O peludo observa todos os movimentos em casa e na rua. Ele conhece os moradores da vizinhança e sempre dá o alarme quando algum estranho se aproxima. Está sempre perto das crianças, principalmente à noite: Haus se torna babá de Molly e Joey todos os dias, assim que o sol se põe.

cachorro-salva-tutora-de-picada-de-serpente

O pastor alemão recentemente pôs à prova a sua lealdade. Em um belo dia ensolarado na Flórida, as crianças estavam brincando no quintal, enquanto Donya se ocupava com as tarefas da casa. Então, Haus ouviu um barulho esquisito.

Donya percebeu a excitação de Haus, mas não conseguia entender o motivo, conforme ela contou depois, à reportagem do “Good Morning America”, da rede de TV ABC: “Ele estava realmente agitado, diferente do normal, mas nada parecia anormal naquele momento”.

A tranquilidade aparente se desvaneceu quando a tutora viu que a pata do cachorro estava coberta de sangue. Ela imaginou que alguma coisa tivesse caído sobre Haus, até que pôde observar uma serpente esgueirando-se para fora do quintal, em direção ao mangue.

cachorro-salva-tutora-de-picada-de-serpente

Era uma cascavel-diamante (Crotalus adamanteus), a serpente mais pesada do gênero. Ela não tem um veneno tão potente quanto o da similar brasileira (Crotalus durissus terrificus), mas pode facilmente matar uma criança ou um animal de médio porte.

O nome da serpente é devido a algumas manchas mais claras no dorso, no formato de diamante lapidado. Assim como as demais cascavéis, ela apresenta escamas amarronzadas e o guizo característico, mas os desenhos de pedras preciosas torna a identificação mais fácil.

cachorro-salva-tutora-de-picada-de-serpente

As crianças nem sequer perceberam a aproximação do perigo. Haus colocou-se entre a serpente e a tutora, impedindo que ela fosse ferida. Em contrapartida, recebeu em cheio o bote da cascavel. Foi preciso correr para a emergência médica: Donya embarcou o cachorro e as crianças no carro e correu para o centro da cidade, para o Blue Pearl Veterinary Partners.

Haus teve de ser internado com urgência e o socorro prestado pelos tutores foi fundamental. Na clínica veterinária, ele recebeu soro antiofídico específico, além de analgésicos e antibióticos, para combater eventuais infecções nos pontos da picada da cascavel.

cachorro-salva-tutora-de-picada-de-serpente

A médica Jennifer Holm foi a responsável pelo tratamento de Haus. O pastor alemão precisou passar por uma série de exames clínicos e laboratoriais. Ele permaneceu internado por uma semana. Finalmente, depois das últimas verificações e de testes de reflexo, o peludo recebeu alta e pôde voltar para casa.

Haus tem dois anos de idade e foi a primeira vez que precisou de cuidados médicos mais intensos – até então, ele só tinha visitado consultórios para situações de rotina, como vacinas e vermífugos. O cachorro foi adotado já adulto, poucos meses antes do ataque da serpente. Ele nasceu e cresceu no Heidi’s Legacy Rescue, um abrigo sem fins lucrativos da cidade.

cachorro-salva-tutora-de-picada-de-serpente

As emergências

Os cachorros são extremamente zelosos em relação à família. Boa parte deles foi desenvolvida para defender rebanhos dos ataques de animais maiores, como lobos e ursos – é o caso, por exemplo, dos pastores alemães.

Os nossos melhores amigos não hesitam em atacar um provável agressor, se perceberem que algum membro da família está sendo ameaçado. Por isso, quem vive em zonas rurais deve estar preparado para eventuais picadas de serpentes.

A biodiversidade do nosso país é muito rica – e isso se estende aos ofídios. Algumas serpentes do Brasil são muito peçonhentas e podem colocar em risco até mesmo cães de grande porte, como dogues alemães e filas brasileiros.

Os ataques mais comuns, por aqui, estão relacionados a jararacas (80% dos casos), surucucus e cascavéis. A coral-verdadeira é a serpente com a peçonha mais potencialmente letal, mas responde por apenas 1% dos casos de picadas.

Em caso de acidentes, sempre que possível, é bastante útil identificar a espécie ou pelo menos o gênero da serpente. Existem soros antiofídicos específicos. Cães picados devem ser colocados em posição de descanso e levados com urgência para a clínica veterinária. Atendidos nas primeiras horas, as chances de recuperação são muito elevadas.

Receba notícias e histórias do Cães Online no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/caesonline.

Postagens Relacionadas