Muita gente pensa que os calos são problemas restritos aos seres humanos. Infelizmente, os cães também podem apresenta-los, sendo que eles são mais comuns nos cotovelos, nos joelhos, na bacia, nas laterais das patinhas e nos calcanhares. Cães de grande porte, os sedentários e também os obesos são os mais propensos a desenvolver calos, principalmente se eles ficarem deitados por muito tempo e de forma prolongada sobre pisos duros, como os de cimento, ou ásperos, como aqueles mais rústicos.

Calos caninos

O melhor a se fazer para evitar que o cão desenvolva calos é não permitir que ele descanse ou durma sobre superfícies duras. Nestes casos, o ideal é adquirir uma caminha apropriada para seu animal de estimação. Caso você não tenha dinheiro para adquirir uma ou espaço para coloca-la, uma alternativa é oferecer ao cão um pequeno edredom, colchonete ou almofadas maiores para que ele se deite sobre elas. Se espaço ou dinheiro não for o seu problema, colchões de água ou ar também podem ser de grande ajuda.

Normalmente impedir que o cão deite sobre superfícies ásperas e duras já resolve o problema. No entanto, muitas vezes os calos já estão agravados e nestes casos, somente os veterinários poderão indicar o melhor tratamento.

Calos caninos

De qualquer forma, é muito importante evitar o desenvolvimento de calos, uma vez que eles podem evoluir e ocasionar problemas mais sérios, como fibrose, higroma, que é o acúmulo de líquido nas articulações e até bicheiras, principalmente quando os calos já inflamaram e começaram a apresentar pus e sangue.


1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui