Cãozinho resgatado não para de sorrir para mostrar a alegria

Por: em

Desde que foi adotado, este cãozinho não para de sorrir: é a alegria imensa que está sentindo

Ele não para de sorrir e demonstrar a amizade e gratidão que sente com relação aos tutores. Este cachorrinho resgatado conheceu as dificuldades de não ter um lar e agora não deixa de demonstrar a alegria por estar seguro e feliz. 

Seguir Cães Online no Facebook

Na maioria dos abrigos para cães, por melhores que sejam as condições, é sempre muito difícil preencher todas as necessidades dos animais. Os funcionários e voluntários quase sempre são insuficientes e grande parte está superlotada. Animais carentes são os “clientes” principais desses locais. 

cao-resgatado-nao-para-de-sorrir-para-mostrar-a-alegria

Muitos cachorros passam a vida inteira à espera de uma oportunidade. Mesmo em condições muito melhores do que as observadas nas ruas, eles percebem que podem – e merecem – mais: não muito, apenas um pouco de carinho e aconchego. 

O cãozinho desta história teve a sorte de conhecer a outra face da moeda. Resgatado das ruas e finalmente adotado por uma família amorosa, ele não para de sorrir, mostrando que a felicidade depende de muito pouco – quase nada, no caso dos peludos. 

cao-resgatado-nao-para-de-sorrir-para-mostrar-a-alegria

Resgate e adoção 

Meaty é um American Bully de sete anos que foi resgatado das ruas de Fresno, no Central Valley (Califórnia, EUA). Ao chegar ao abrigo Fresno Bully Rescue, o cachorro exibia todos os sinais de um animal traumatizado: era medroso, inseguro, extremamente tímido. 

Muito vagarosamente, Meaty começou a apresentar sintomas de que estava se curando. Ele estava se acostumando à convivência com humanos, passando a confiar neles. O pitbull que vivia se escondendo nas jaulas já aceitava a presença e o carinho dos voluntários. 

cao-resgatado-nao-para-de-sorrir-para-mostrar-a-alegria

O cachorro passou dois anos no abrigo, sem que nenhum visitante se interessasse por ele. A bem da verdade, é preciso dizer que, na maior parte desse tempo, Meaty evitava a presença da maioria das pessoas, reduzindo as chances de encontrar um candidato a tutor. 

Então, ele conheceu Lisa Reilly. A californiana viu as fotos do cãozinho no site do abrigo e decidiu fazer uma visita inicialmente sem compromisso: ela pretendia conhecer Meaty pessoalmente. Mas foi amor à primeira vista. 

Até então, Lisa não acreditava estar em condições emocionais de adotar um novo cachorro. Ela ainda estava superando a perda de Kitty, uma cadela da mesma raça de Meaty, ocorrida três meses antes do encontro. 

cao-resgatado-nao-para-de-sorrir-para-mostrar-a-alegria

Em entrevista ao site The Dodo, Lisa contou que se lembra como se fosse hoje do momento em que encontrou Meaty. Era uma tarde ensolarada, típica da Califórnia, e ela encontrou o pitbull deitado na entrada do abrigo, sob o sol escaldante. Apesar de não gostar de estranhos, o cachorro não tentou se esquivar. 

“O abrigo fez um excelente trabalho cuidando de Meaty, mas, desde a primeira vez que eu o vi, senti-me atraída e senti que poderia trazê-lo para casa.” 

A tutora percebeu que o bully tinha tudo o que ela queria. Rapidamente, providenciou a documentação necessária e levou Meaty para casa no mesmo dia. Ela permaneceu apenas por poucas horas no Fresno Bully Rescue

cao-resgatado-nao-para-de-sorrir-para-mostrar-a-alegria

O american bully foi recebido com carinho pelos irmãos de quatro patas: dois pitbulls também resgatados – Punky e Ricardo Tubbs (é o nome de um detetive do seriado Miami Vice) – e os dois basset hounds idosos da família – Bitty e Dape. A família estava completa, porque cada um tem uma personalidade diferente, mas todas se somam em um lar feliz. 

Os primeiros dias foram difíceis, mas nada que Lisa não pudesse contornar. Na primeira manhã, a tutora encontrou um mar de sapatos mastigados ao acordar. Meaty não interagia muito com os irmãos (ele tentava se esconder, na verdade), mas, em pouco tempo, já mostrava ciúme e queria mais atenção. 

cao-resgatado-nao-para-de-sorrir-para-mostrar-a-alegria

Em apenas poucas semanas, Meaty estava totalmente adaptado à nova rotina familiar – não deve ser muito difícil brincar, correr e partilhar carinhos e lambidas, especialmente para quem veio de uma história de abandono. 

Mas ele nunca perdeu o hábito de sorrir. Ele abre um belo sorriso todas as vezes em que a tutora volta para casa, ou nas brincadeiras com os irmãos e a mãe humana. 

Lisa descobriu também que Meaty adora fotografias. Basta ele ver uma câmera (ele já sabe que celulares tiram fotos), para preparar um sorriso contagiante. Ele gosta de demonstrar a alegria que sente por estar acolhido, protegido e amado. 

Encantada com as poses e o sorriso de um cachorro tão fotogênico, Lisa organizou uma página para Meaty no Instagram, em que compartilha o dia a dia do cachorro. As fotos são lindas, e já conquistaram mais de 153 mil internautas. O perfil é atualizado quase diariamente. 

Gostou? Siga o Cães Online no Facebook, Instagram e Google News