Dálmata faz sucesso na internet com seu focinho em formato de coração

As manchas no pelo sempre são charmosas, mas este dálmata nasceu com um coração no focinho. 

Dálmatas aparecem em gravuras e desenhos desde o século 16. Eles ficaram ainda mais famosos com a estreia do desenho animado “A Guerra dos Dálmatas”, dos Estúdios Disney, de 1961, baseado em um livro publicado cinco anos antes. Este dálmata, no entanto, é único: ele nasceu com uma mancha no focinho em forma de coração. 

A raça canina está entre as 40 mais populares do mundo – apesar de estar perdendo espaço para os cães de pequeno porte, que são campeões de registros e vendas. Este cãozinho, no entanto, está conquistando milhares de internautas em função de uma peculiaridade: o coração no focinho já foi descrito como “um beijo dado por um anjo”. 

dalmata-com-o-coracao-no-focinho

Wiley, o dálmata 

Com um focinho caprichosamente desenhado, Wiley ainda era um filhote quando as primeiras fotos foram publicadas nas redes sociais e imediatamente viralizaram. O dálmata tinha apenas 12 semanas de vida e já era seguido por mais de 25 mil internautas no seu perfil no Instagram

dalmata-com-o-coracao-no-focinho

As “mensagens de Wiley” receberam traduções instantâneas nos idiomas mais diversos possíveis – do inglês ao mandarim, do árabe ao português. Wiley nasceu em 2018, mas, com três anos, o coração permanece muito bem contornado no focinho. 

Wiley entrou na vida de Lexi Smith em 17.03.18 – Dia de São Patrício, festa do padroeiro da Irlanda e um feriado muito popular nos países de língua inglesa. A tutora do dálmata vive no Colorado (EUA). 

dalmata-com-o-coracao-no-focinho

As manchas escuras dos dálmatas (pretas ou chocolate), exclusivas da raça, são sempre atraentes e tornaram estes cães muito chamativos, mas este não foi o único motivo por que Lexi escolheu Wiley. A tutora gostou da descrição do criador: “ele é um filhote que só faz comer, se aconchegar e dormir. Parecia o cachorro perfeito para uma jovem de 26 anos. 

dalmata-com-o-coracao-no-focinho

Wiley nasceu em uma ninhada de 11 cães – oito machos e três fêmeas (as ninhadas numerosas são comuns entre os dálmatas). A mancha em formato de coração já era visível no focinho, mas ainda não estava bem conformada. 

dalmata-com-o-coracao-no-focinho

De qualquer forma, as manchas tendem a mudar de lugar à medida que os cachorros se desenvolvem. Uma das maiores dificuldades dos criadores de dálmatas é fixar as manchas por todo o corpo, uniformes e nítidas. 

Mas o filhote sonolento acabou dando lugar a um cachorro curioso, um pouco atrevido e independente. “Ele tem mais personalidade em seu corpinho do que qualquer outro cachorro que eu já conheci”, disse à jovem ao site Bored Panda. 

dalmata-com-o-coracao-no-focinho

Para sorte de Wiley, a família de Lexi mora na zona rural, com muito espaço para explorar e percorrer. O dálmata se desenvolveu perfeitamente, com um comportamento ajustado, amigável e meigo. E a mancha no focinho foi se destacando cada vez mais. 

Mas a tutora faz questão de afirmar que Wiley não chama atenção apenas pelo coração à mostra. Ele é um cachorro gentil e bem educado. “Eu o ensinei a sentar-se desde pequeno. Agora, quando ele quer alguma coisa, simplesmente senta-se à minha frente e espera pacientemente. O problema é que ele é tão fofo que, quase sempre, consegue o que quer”. 

dalmata-com-o-coracao-no-focinho

Wiley é uma celebridade local e faz sucesso nas redes sociais, mas Lexi garante que a fama do dálmata se mantém não apenas por causa do coração no focinho, mas porque “ele é o cachorro mais amigável que existe”. 

O comportamento 

Assim como Wiley, os dálmatas se destacam pelo temperamento amigável e agradável. Os cães da raça não são tímidos, nem mostram hesitação quando querem alguma coisa. Dálmatas não são animais nervosos e nunca se mostram agressivos. 

dalmata-com-o-coracao-no-focinho

A raça foi desenvolvida para acompanhar carruagens, na Croácia (mais exatamente na Dalmácia, a região litorânea deste país dos Bálcãs). Os animais são ágeis, elegantes e extremamente sociáveis. Eles não devem ser empregados como cães de guarda e se ressentem muito quando ficam isolados da família. 

dalmata-com-o-coracao-no-focinho

Ainda assim, eles são cachorros – e sempre se comportam como tal. Um exemplo disso é que a Federação Cinológica Internacional (FCI), quando publicou o padrão oficial da raça (apenas em 1955), descreveu o dálmata como um cão de caça. Eles são fofos – especialmente quando ostentam um coração no focinho – mas continuam exibindo os instintos da espécie. Cachorros não são brinquedos.

Créditos das imagens: hi.wiley

Postagens Relacionadas