InícioComportamentoConheça 11 expressões faciais e corporais dos cachorros

Conheça 11 expressões faciais e corporais dos cachorros

Cachorros “falam” com expressões fisionômicas e posturas corporais. Entenda o que eles querem dizer.

Quem convive com um cachorro sabe que eles são mestres em fazer “caras e bocas”. Seja para pedir um petisco ou um carinho, seja para tentar se safar de uma situação complicada – uma bronca, por exemplo – eles usam a linguagem facial e corporal para se expressar.

No dia a dia, os tutores acabam descobrindo a decifrar as ideias que os peludos estão tentando transmitir. Além disso, em cada família, sempre surgem alguns sinais particulares e exclusivos. Mas existem alguns gestos “universais”, digamos assim. É uma espécie de “língua franca” dos cachorros.

01. Cabeça baixa

Nas caminhadas, a cabeça baixa é a postura natural dos cachorros, com exceção dos pastores e boiadeiros, que mantêm a cabeça elevada justamente para observar o movimento dos rebanhos. Nas brincadeiras e ”conversas”, a cabeça baixa tem outro significado.

linguagem-facial-e-corporal-dos-cachorros

Quando o tutor fala e o cachorro baixa a cabeça, isto significa que ele entendeu o comando. Nos treinamentos, ao ouvir “fica” ou “senta”, os peludos automaticamente assumem esta posição, para dizerem que estão entendendo. Mesmo que, nas primeiras sessões de adestramento, eles não estejam entendendo nada, a cabeça baixa significa que estão raciocinando.

Durante as broncas, a cabeça baixa quer dizer submissão: o peludo concorda que “pisou na bola” e tenta demonstrar que não fará mais o gesto que irritou ou incomodou o tutor. É uma forma de subordinação, bastante frequente em bandos organizados.

02. Cabeça pendendo para o lado

Esta expressão é a mais procurada nas fotos. Os cachorros parecem ser ainda mais fofos e agradáveis quando pendem a cabeça para um dos lados. Mas a ideia original não era parecer amigável e meigo.

linguagem-facial-e-corporal-dos-cachorros

Os peludos dobram o pescoço quando estão refletindo sobre alguma coisa nova. Ao apresentar um novo brinquedo, ao introduzir outro pet (ou um bebê) no ambiente familiar, os cachorros tentam entender o que é aquilo e de que forma irá alterar a rotina.

A cabeça pendendo para o lado também indica curiosidade – por isso, os filhotes passam boa parte do tempo com a cabeça desse jeito. Em um ambiente seguro e confortável, o gesto indica raciocínio. A postura também facilita a audição e a visão.

03. Contato visual firme

Os cachorros só olham fixamente para pessoas e outros pets em duas situações: quando acreditam que estão em segurança e quando pressentem um perigo. Um olhar mais firme, mais “hard”, indica que o cachorro identificou uma ameaça e está pronto para enfrentá-la.

linguagem-facial-e-corporal-dos-cachorros

Ao contrário do que diz o senso comum, os cachorros não são bons de briga. Eles evitam atritos físicos ao máximo e só partem para as “vias de fato” quando não há outra opção. Quando o cachorro fixa o olhar em alguém e não desvia os olhos, ele está prestes a atacar.

Quando isto ocorre na presença de um cachorro estranho, o melhor a fazer é afastar-se tão rápido quanto seja possível, mas sem dar as costas para o possível agressor. Fixar olhos nos olhos e desviar rapidamente é a melhor maneira de mostrar que está abandonando o território, que entendeu a mensagem do “dono” – seja do quintal, seja do sofá, seja da rua.

04. Contato visual ausente

Quando o cachorro desvia o olhar e evita ficar frente a frente com o tutor, ele provavelmente está dizendo que está arrependido do que fez e está acenando a bandeira branca. O peludo não se afasta, mas fixa o olhar no chão ou na parede ao lado.

linguagem-facial-e-corporal-dos-cachorros

A comunicação dos lobos acontece assim. Apenas o “alfa” da alcateia fixa o olhar penetrante e duro nos demais membros. Ele pode fazer isso para acabar com uma briga, distribuir tarefas ou até impedir o acasalamento. Os submissos do grupo, ao sentirem o olhar penetrante, apenas olham rapidamente e desviam o olhar.

Uma questão importante: os cachorros não conseguem compreender perfeitamente as regras da casa. Eles acatam de qualquer forma, porque querem fazer parte do bando. Alguns tutores, no entanto, dão broncas desnecessárias e, nesses casos, a ausência de contato visual pode indicar confusão e estresse.

A situação fica ainda mais complicada quando as regras mudam constantemente. Em um dia, o cachorro pode pular e brincar na cama; no outro, nem sequer é admitido na sala de estar. Os animais estressados continuamente se tornam desequilibrados e podem desenvolver uma série de comportamentos inadequados.

05. Mostrando o branco dos olhos

Alguns cães têm as pálpebras caídas e acabam mostrando o branco dos olhos praticamente o tempo todo. Naqueles que têm a pele mais ajustada (a maioria), isso normalmente ocorre quando eles viram os olhos para um lado e o focinho para o outro.

linguagem-facial-e-corporal-dos-cachorros

Nos EUA, esta expressão é chamada de “olhos de baleia”. Algumas baleias não apresentam movimentos oculares, e os cachorros, nesta atitude, mal movem os globos oculares. Eles provavelmente estão atentos a algum barulho ou imagem fora do usual.

Também é possível que eles estejam protegendo alguma coisa valiosa – que pode ser aquele ursinho de pelúcia rasgado e úmido de saliva. Quase todos os cachorros se apropriam de um “tesouro” e tendem a defendê-lo da maneira que puderem.

O branco dos olhos também pode indicar estresse, exposição prolongada a um perigo ou incômodo. De uma forma ou de outra, o gesto significa que os cachorros não estão se sentindo confortáveis. A reação depende do temperamento: alguns se escondem, outros partem para o ataque.

06. Olhar suave e meigo

Se alguns olhares são assustadores, outros parecem não transmitir nenhum tipo de ameaça. Os olhos se mostram tranquilos e suaves e toda a postura do corpo denota relaxamento, não importando se o cachorro está em pé, sentado ou deitado.

linguagem-facial-e-corporal-dos-cachorros

Este tipo de olhar indica que o cachorro está em segurança. Ele se sente confortável, tranquilo e o medo está totalmente ausente. Tudo depende do temperamento: alguns podem mostrar o relaxamento apenas em casa, outros o apresentam nos locais preferidos de passeio, por exemplo.

Seja como for, este não é um bom momento para propor alguma brincadeira intensa. O cachorro que exibe um olhar suave está em “estado contemplativo”. Ele está se sentindo em paz, de bem com a vida. O tutor pode partilhar a ocasião, oferecendo um petisco ou apenas um carinho. Isso prolongará a situação.

07. Olhos semicerrados

Quando um cachorro deixa os olhos quase fechados quando está descansando ou observando o movimento da casa, ele está simplesmente relaxando. É a posição entre o estado de alerta e uma soneca: ele está atento, mas tudo parece bem em volta dele.

linguagem-facial-e-corporal-dos-cachorros

Quando eles começam a franzir os olhos ao observar alguém se aproximando (ou apenas circulando por perto), os cachorros provavelmente estão avaliando uma situação, que parece ser perigosa ou conflituosa.

Os peludos que têm medo do aspirador de pó, por exemplo, podem apertar os olhos apenas ao ouvirem o barulho do eletrodoméstico sendo ligado. Enquanto a faxina estiver sendo feita, será uma situação de desconforto para eles. E, se um estranho estiver “pilotando” o aspirador (uma nova faxineira, por exemplo), eles podem estar decidindo se aquele é um bom momento para atacar.

Em tempo: os cachorros demoram muito mais tempo que os humanos para emitir sinais de que estão sentindo algum tipo de dor. Os sintomas são difusos e os tutores devem ficar atentos. Os olhos semicerrados, quando ocorrem sem motivo aparente, podem indicar que o cachorro precisa ir ao veterinário.

08. Sobrancelhas levantadas

Esta é uma expressão adquirida no contato com os humanos. Quando os cachorros levantam as sobrancelhas, hábito que exige o movimento coordenado de alguns músculos faciais, eles ficam com os olhos arredondados.

linguagem-facial-e-corporal-dos-cachorros

Os olhos arredondados são típicos dos filhotes – já na adolescência, os cachorros ficam com os olhos amendoados. Imitando a aparência de bebês, eles despertam nos tutores – e mesmo em pessoas que nem sequer gostam de cachorros – os instintos de proteção.

Filhotes são inexperientes, frágeis e desprotegidos. Há milênios, nós nos acostumamos a resguardá-los e garantir-lhes a segurança. Nesta convivência, os cachorros aprenderam “um truque” para se tornarem parecidos com filhotes.

Isto não significa que eles estejam simulando. Não há premeditação e os cachorros não querem enganar ninguém. Um dia, muito tempo atrás, nós começamos a dar preferência por peludos que conseguem levantar as sobrancelhas, porque o gesto nos lembra os filhotes.

09. Bocejos contínuos

Bocejar é um hábito extremamente saudável, que deve ser cultivado inclusive por humanos: acordar de manhã, espreguiçar o corpo e bocejar algumas vezes é uma excelente técnica para acelerar o metabolismo, alongar os músculos e começar bem o novo dia.

linguagem-facial-e-corporal-dos-cachorros

Portanto, se o cachorro apresenta alguns bocejos, está tudo bem: ele está com sono, relaxado e tudo está bem no ambiente. Mas se os bocejos se repetem continuamente, em situações em que não são esperados – a hora do passeio, por exemplo –, os gestos sinalizam estresse ou ansiedade.

Os bocejos contínuos são um sinal para acalmar: é uma maneira de amenizar o ambiente. Quando um cão líder boceja no meio de um grupo (em uma creche para pets ou um parque pet friendly), todos os demais repetem o gesto e relaxam.

Mas, quando o cachorro faz isso em casa, o “pedido de calma” não surte efeito. O peludo pode fazer isso quando a casa está em reforma ou quando há uma construção no terreno ao lado, por exemplo. Mas também pode bocejar para pedir que os tutores se acalmem.

10. Lambidas no focinho

linguagem-facial-e-corporal-dos-cachorros

O significado das lambidas contínuas no focinho é idêntico ao dos bocejos contínuos: o cachorro está ansioso, angustiado ou estressado. Isso, claro, se o motivo não for catar os farelos que se espalharam no focinho ou lamber o muco que escorreu pelas narinas (os tutores acham anti-higiênico, mas os cachorros sabem que muco é nutritivo).

11. O sorriso

Um sorriso semelhante ao humano, com dentes à mostra e mandíbula relaxada, indica apenas submissão ou, menos frequentemente, nervosismo e tensão – não deve ser entendido que o cachorro está feliz. Este é um gesto bastante comum na natureza, principalmente entre os mamíferos.

linguagem-facial-e-corporal-dos-cachorros

O “sorriso” também pode ser apenas uma forma de refrescar o corpo. A boca semiaberta permite que o cachorro sue (as glândulas sudoríparas dos cachorros estão concentradas principalmente na língua).

Mas os cachorros já aprenderam que a boca aberta, mostrando belos dentes, atrai a atenção dos humanos. Nós nos aproximamos dizendo: “olha, ele está sorrindo”, usando um tom amistoso, quase sempre acompanhado por um petisco ou um afago.

Como todo mundo gosta de carinho, os cachorros associaram o “sorriso” às recompensas e repetem o gesto, mesmo que não estejam particularmente contentes no momento.

Amaury Almeida Costa
Amaury de Almeida Costa ([email protected]) é redator publicitário há mais de 30 anos. Escreve para diversos blogs desde 2008. Presente nas redes sociais desde a época do Orkut, foi editor da revista Animanews, sucesso editorial do final dos anos 1990, que trazia informações sobre pets – além de cães, gatos e aves, trazia informações sobre répteis, anfíbios, peixes e invertebrados de estimação.
RELACIONADOS

Últimas Publicações