Alguns cães têm um comportamento inadequado quando ficam separados de seus donos. Se o seu cachorro costuma destruir móveis e apronta bastante quando não tem mais ninguém em casa, a primeira coisa que passa pela sua cabeça é que ele deve ser punido, mas o que você precisa fazer mesmo é procurar um veterinário para verificar se o animal possui Síndrome de Ansiedade de Separação (SAS).

síndrome-de-ansiedade-de-separação

Um cão pode demonstrar diversos sinais decorrentes do estresse da separação das pessoas com quem ele é mais apegado. O comportamento inapropriado consiste em micção e defecação em locais como a cama do dono, ruídos excessivos, mordidas em objetos pessoais do dono, depressão, hiperatividade, automutilação, entre outros sinais. Há até cachorros que se recusam a comer quando o dono não está em casa, o que também pode gerar problemas para a saúde do animal.

Um bom veterinário pode ajudar a diagnosticar o problema a partir do histórico comportamental do seu cachorro. Alguns desenvolvem Síndrome de Ansiedade de Separação devido a traumas quando eram filhotes, como uma mudança súbita de ambiente ou algo que ocorreu na ausência do dono, como uma explosão ou uma invasão na propriedade.

síndrome-de-ansiedade-de-separação

Cães de todas as raças podem desenvolver SAS. Geralmente, os bichos com esse transtorno são agitados e seguem o dono por todos os cantos. Além disso, a reação deles quando percebem que o dono vai sair é exagerada, com pulos, latidos e choro.

Para tratar o cachorro que tem SAS, é necessário alterar a relação com o dono de modo a fazer com que o animal consiga tolerar a sua ausência temporária. Além de possíveis medicamentos prescritos pelo veterinário, você deve treinar seu cão para que ele seja mais obediente e não se desespere quando estiver sozinhoem casa. Paratanto, treine partidas graduais para que o bicho se acostume com a ideia de que você voltará.

síndrome-de-ansiedade-de-separação

Também é importante que o seu comportamento não reforce a ansiedade do animal. Por isso, evite exagerar nas saudações ao retornar. Só dê atenção depois que o cão estiver calmo e menos excitado com a sua presença. O mesmo vale para a sua saída, que não deve estimular o cão a se agitar a partir de determinados hábitos, como pegar as chaves. Essas ações são associadas a saídas, o que pode gerar problemas quando você precisar realizá-las sem necessariamente ter a intenção de sair de casa.

Deixar a TV ou o rádio ligados quando não houver ninguém em casa pode ajudar a acalmar o cachorro, no entanto, isso aumenta a dependência do animal. Também tome cuidado para se controlar diante das manifestações da síndrome, pois castigos e punições podem gerar ainda mais medo e agressividade.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here