Por que castrar um cão?

Tem muito dono de cachorro por aí que se arrepia inteiro só de ouvir a palavra castração. Para muita gente tal cirurgia ainda é sinônimo de crueldade, mutilação e é visto também como algo desnecessário. Tais questões, no entanto, devem ser debatidas sempre que possível e os mitos em torno da castração dos cães devem ser extintos do imaginário das pessoas, pelo bem dos animais e da sociedade.

Para se ter uma ideia, uma única cadela pode gerar, durante uma vida reprodutiva de até seis anos, cerca de cem filhotes. Se toda esta centena de cãezinhos sobreviver, onde é que eles irão parar caso a cadela tenha dono? Sim, filhotes são facilmente doados, pois ninguém resiste àquelas carinhas fofas. No entanto, muita gente por aí não fica com nenhum remorso em abandonar um cão na rua caso ele comece a roer os móveis ou fazer suas necessidades básicas pela casa. E se a cadela já viver na rua, a situação tende a ser bem pior, aumentando ainda mais população de cães abandonados.

A cirurgia de castração do cachorro, quando feita por um profissional capacitado, não deixa sequelas, não traz riscos para o cão e ainda evita, além do nascimento descontrolado de animais, diversos outros problemas e doenças ao longo da vida, tanto nas fêmeas quanto nos cães machos. Isso sem contar que um cachorro castrado tende a viver mais e melhor.

No caso dos machos a castração consiste na retirada dos testículos, e no que se refere às fêmeas, a castração ocorre com a retirada do útero e dos ovários através de uma incisão na barriga. A anestesia dada, que pode ser injetável ou por meio de inalação, é geral e em apenas uma semana os cães estão totalmente recuperados e prontos para tirar os pontos. Dependendo da resistência do cão, alguns deles nem sequer ficam com cicatrizes aparentes.

Este procedimento cirúrgico evita que as fêmeas desenvolvam câncer nas mamas na fase adulta, evita os cios e todas as suas consequências um tanto quanto desagradáveis, acasalamentos indesejáveis e infecção uterina. Já nos machos a castração evita que os cães fiquem agarrando nas pernas de todos que avistam, evita fugas, demarcação de território com xixi quando feita em filhotes, tumores testiculares, entre outros.

Um cão pode ser castrado a partir dos dois meses de idade no caso dos machos. Para as fêmeas, o mais indicado é que sejam castradas antes do primeiro cio, que acontece lá pelo 5º mês. Entre as vantagens citadas acima, vale lembrar que os cães cruzam por instinto e uma cadela no cio pode atrair dezenas de machos, o que geralmente não acaba bem. Portanto, se você tem um cachorro em casa, informe-se na sua cidade sobre projetos de castração de cães.

4 Comentários

Deixe um comentário
    • Ultimamente tenho lido muito sobre o trabalhar em casa, ai, o que eu gotvasa de trabalhar em casa, acho que deve ser maravilhoso, no entanto fico a pensar quando dizem que o espae7o de estar e9 o mesmo de trabalhar, e isso e9 capaz de ser um pouco complicado por vezes. Desejo-te boa sorte no teu projecto, ainda ne3o fiz o meu contributo, mas vou fazea-lo 😉 *

  1. Castrei meus quatro cachorros (um macho e três fêmeas) e foi a melhor coisa que fiz na vida para eles!
    Meu machinho ficou menos agressivo, e as fêmeas, mais brincalhonas.
    Fora que a marcação de território acabou!
    Castrar é um ato de amor ao animal. Feito com profissional capacitado, os bichinhos vão viver melhor, certeza!

  2. Na verdade quando castram o cachorro ou outros animais como os gatos, eles vão ficar com muitos outros problemas de saúde. O principal deles é engordar. Vocês já viram o touro, quando o castram e ele vira boi como engorda? Pois é, com os outros animais e seres humanos acontece a mesma coisa. Mesmo com uma alimentação saudável e fazendo exercícios, eles vão engordar do mesmo jeito, o metabolismo deles vai ficar muito lento. Eles não vão mais ter desejos sexuais, e produzir poucos hormônios e com isso vão acabar áficando mais estressados e deprimidos. Você gostaria de ser castrado? Aposto que não, então porque você vai fazer isso com seu animalzinho de estimação? Ele vai sofrer o resto da vida? A massa muscular deles vai virar na maior parte gordura, e eles vão ficar fracos, além de todas as complicações que a obesidade trás. Se o problema for para eles não terem filhotes, é muito melhor os deixar separados de outros animais no período fértil ou cio e assim eles não vão conseguir ter relações com outro animal. Agora se o problema for o câncer, primeiro tem que esperar a doença surgir, ela pode nunca surgir e você castrar o seu animal em vão? Existe formas de tratamento para o câncer como a auto hemoterapia e uma empresa de suplementos chamada omnilife, que vende suplemento que matam as células canceríginas. Eu conheci pessoas humanas que se curaram dessa doença com esses tratamentos. Tem também a ozonioterapia que faz o câncer estacionar onde ele está, porém esse último tratamento não cura a doença, só a impede de se espalhar mais. Porém se o câncer já estiver avançando e se espalhando muito rápido e não der tempo para fazer esses tratamentos, precisa operar porque quanto mais tempo passar pode dar metástase e ai não ter mais reversão e a pessoa vir a morrer, tem que agir rápido quando isso ocorrer, quanto mais demorar pior é. É perigoso esse problema, não se brinca. Ouvi falar que a maioria dos casos de câncer ocorrem por falta de vitamina D, pois as pessoas hoje em dia quase não tomam Sol, ficam mais em ambientes fechados e isso facilita o surgimento da doença, pois a vitamina D previne doenças que acontecem quando o sistema imunológico está fraco, como o câncer. Ela faz o sistema imunológico ficar forte, e assim previne outras doenças autoimunes. Minha vizinha teve um cachorro que nunca foi castrado e nunca desenvolveu câncer. Porém um outro que ela pegou foi castrado e engordou muito e acabou ficando com diabetis. Bom é isso, espero que todos tenham bom senso com relação a esse assunto, e espero ter ajudado. Abraços. Tiago.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *