Nem sempre as vacinas conseguem proteger o seu cachorro. Veja os principais fatores!

A vacina é o meio mais eficaz de proteger o seu melhor amigo contra doenças virais. Entretanto, mesmo protegidos, os cães podem adoecer e, além disso, vários fatores podem influenciar na eficácia da vacina. Não é à toa, que ela deve ser aplicada por profissionais, ser conservada no ambiente adequada e o cão precisa estar com boa saúde para receber a dose. Mas, por que a vacina pode falhar?

Vacina para cães: por que elas podem falhar?

Presença de anticorpos maternos

Os anticorpos maternos podem atuar como bloqueadores, sendo uma das principais causas das falhas da vacina. Os anticorpos são recebidos pelos filhotes por meio da placenta e podem conseguir neutralizar os antígenos da vacina. A faixa etária adequada para o cachorro começar a receber as primeiras doses de vacina varia, pois depende da quantidade de anticorpos recebida pela mãe.

Incubação

Cães que estão incubados, geralmente, não conseguem desenvolver uma resposta imune ideal à vacinação. Além disso, os cachorros que não estão apresentando bons sinais clínicos não devem ser vacinados. O recomendado é que o cão esteja saudável.

Fatores diversos

Existem vários fatores que podem contribuir para a ineficácia da vacina como, por exemplo, a presença de vermes e protozoários, idade, alimentação inadequada, estresse e também os hormônios. Você sabia que o cio e a gestação diminuem a resposta do organismo à vacina?

Além disso, o modo de conservação da vacina também contribui para a sua eficácia. Por exemplo, temperaturas mais altas que as recomendadas podem prejudicar o seu efeito, principalmente nas que possuem vírus vivo modificado. A eficácia também é comprometida quando as vacinas são conservadas a temperaturas mais baixa que o normal.

As vacinas nunca devem ser misturadas e devem ser guardadas de acordo com as instruções fornecidas pelo fabricante. Portanto, nunca devem ser colocadas duas vacinas distintas na mesma seringa. Além disso, a via de aplicação também influência na sua eficácia. Neste sentido, uma vacina contra raiva se for administrada via intramuscular pode proporcionar uma resposta mais rápida e duradoura.

A produção e a qualidade da vacina também é um fator relevante e existem pontos que devem ser ressaltados como, por exemplo, a quantidade de vírus ou bactérias, a qualidade do adjuvante de imunidade, o tipo de vírus e bactéria, o método usado para neutralizar os vírus e bactérias, a data de validade da vacina, entre outros. Lembre-se de que a vacina deve ser aplicada por um profissional da área.
Gostou das dicas? Deixe a sua opinião!


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui