07 vantagens de adotar um cachorro adulto

Aumentar a família é sempre uma satisfação. Trazer um cachorro para casa melhora a sensação de pertencimento e proximidade. Além disso, adotar um cachorro adulto é um gesto nobre, uma vez que a maioria das pessoas prefere filhotes de raça – de preferência, com pedigree.

Adotar um cachorro adulto tem algumas vantagens. Caso ele seja um mestiço, você já sabe exatamente o porte do novo “roommate”. Ao contrário de um filhote, um cachorro adulto já incorporou regras de convivência e submissão, descobre onde dormir e fazer as necessidades e é muito menos curioso e, por isso, menos sujeito a acidentes.

vantagens de adotar um cachorro adulto

Filhotes são realmente adoráveis, eles atraem as atenções. Em uma feira de doações, o cercadinho dos pequenos é sempre o mais procurado. Mas, pensando bem, todos os cães são adoráveis – ou, pelo menos, têm as suas qualidades.

Este é mais um motivo para adotar um cachorro adulto: ele sempre ocupa os “últimos lugares da fila”. Levá-lo para casa poderia ser considerado um gesto de caridade, se as recompensas obtidas não fossem muito maiores. “É dando que se recebe”, mas, nesta situação, recebe-se muito mais.

01. Aceleração na aprendizagem

Ao nascerem e abrirem os olhos para o mundo, os filhotes precisam aprender tudo: mamar, relacionar-se com os outros cães (e com os adultos), explorar a casa, acostumar-se com regras de convivência.

Um cachorro adulto já chega à casa sabendo tudo isso. Provavelmente, ele terá de aprender os locais em que pode transitar, os objetos com quem pode brincar, as expressões de afeto permitidas pela família.

Tudo isso, na verdade, é apenas uma adaptação a novas condições de vida. Em algum momento anterior, ele já foi educado e socializado: só o que tem a fazer é adequar-se a novas regras, que podem ser mais ou menos diferentes das introjetadas anteriormente.

Um ponto bastante positivo é que um cachorro adulto não chora à noite, quando fica sozinho. Ele já está acostumado a momentos de solidão – e provavelmente já descobriu as vantagens de passar algumas horas em uma casinha no quintal, no tapete da sala, aos pés da cama ou refestelado ao lado do tutor.

Não há certo e errado, tudo depende das regras da casa. Mas o filhote, certo dia, é retirado da convivência com a mãe e os irmãos e precisa aprender a viver em um ambiente estranho. Nada mais natural que ele se apavore e passe algumas noites chorando.

02. Sabem se proteger

Se você pretende deixar o pet dormir ao seu lado na cama, o cachorro adulto apresenta mais uma vantagem: não há preocupações em esmagá-lo ou asfixiá-lo durante a noite. Mesmo pequeno, ele já sabe se esquivar e proteger.

03. São menos destrutivos

Na fase de conhecer o mundo (ou apropriar-se dele), os filhotes quase sempre se revelam destrutivos, em maior ou menor grau. Chinelos, tapetes, almofadas, brinquedos, roupas no varal, nada escapa ao olhar perquiridor de um cãozinho.

Um cachorro adulto, ao contrário, já superou esta fase de vida. Menos curioso e mais consciente das consequências de seus atos, ele destrói menos e também sofre menos acidentes nas aventuras do dia a dia.

“Um cachorro é muito bom, mas pode não ser exatamente o companheiro de que eu preciso”, pensa muita gente que se candidata à adoção. Com um cachorro adulto, as chances de “dar match” são maiores.

04. Controle de agressividade

Ao observá-lo no canil, perambulando pela rua em frente à sua casa ou esperando no cercadinho de uma feira de adoções, o peludo está exibindo o temperamento. Ele pode se mostrar afoito, tranquilo, bonachão, preguiçoso, ativo, e você escolhe com mais clareza aquele que combina com a sua personalidade.

Ao contrário do que se pensa geralmente, um cachorro adulto, vindo das ruas ou de um canil de controle não é um animal agressivo, sempre pronto a atacar.

Uma das missões mais importantes da tutela responsável de animais de estimação é a socialização: um filhote precisa aprender a conviver e respeitar os humanos e outros pets, mesmo os desconhecidos. Este é um dos motivos da necessidade dos passeios diários.

Um filhote criado de forma isolada, que passe muitas horas do dia sozinho, tem grandes possibilidades de se tornar agressivo, violento e destrutivo. Isto, por outro lado, não acontece com um animal que foi abandonado e viveu perambulando na rua, ainda que por um período muito curto.

A razão é simples. Os cães bravos não duram muito tempo nas ruas. A expectativa de vida é sempre baixa, mas os animais violentos vivem ainda menos. Eles se envolvem em brigas, são agredidos pela população.

Os cães mais dóceis correm menos riscos, apesar de continuarem sendo muitos (atropelamentos, doenças, exposição ao frio e à chuva, etc.). Os mais simpáticos chegam a ganhar alimentos, brinquedos e alguma atenção.

Esta é uma forma de “seleção natural” (mas totalmente artificial), em que sobrevivem os mais aptos à convivência: ficam os dóceis e camaradas, saem de cena os arredios e agressivos. É a lei das ruas. Mas, viver com estranhos – na rua ou em um canil – é uma prova de que o cachorro está qualificado para viver com qualquer ser humano, inclusive os piores da espécie.

05. São mais resistentes as doenças

Outra vantagem de um cachorro adulto que foi abandonado: é possível que ele tenha se exposto a um sem número de bactérias e outros micro-organismos nocivos.

Isto não quer dizer necessariamente que ele esteja doente, mas, como se trata de um sobrevivente, é certo que o organismo desenvolveu muitas defesas. Um cachorro adotado adulto pode ser mais saudável que outros animais pouco expostos a germes.

06. Treinamento facilitado

Diz um velho ditado que “burro velho não pega marcha”, uma afirmação de que, com a idade, o aprendizado se torna cada vez mais difícil. Nada mais falso: a falta de aprendizado é que torna a velhice cada vez mais difícil. Burros, humanos e cachorros podem aprender em qualquer faixa etária.

Você provavelmente se surpreenderá com a rapidez com que um cachorro adulto aprende coisas novas. Na verdade, ele já desenvolveu os esquemas de aprendizado (ao contrário dos filhotes) e acaba aprendendo porque compara a proposta nova com atividades que ele dominava antes.

Além disso, muitas coisas ele já  sabia. Bastam alguns estímulos e eles exibem “novas competências”, sob o olhar orgulhoso do novo tutor, impressionado com a rapidez com que cachorros adultos aprendem, especialmente quando ganham recompensas, como petiscos e brinquedos novos.

São muitas as razões que levam as pessoas a abandonarem cachorros. “Cresceu demais”, “É muito teimoso”, “Nasceu um bebê”, “Tive que me mudar”, “Fui viajar e não tinha com quem deixá-lo”.

Nada disso justifica o abandono, mas não transforma os antigos donos em monstros terríveis. Em algum momento, houve afeto, carinho, atenção, dedicação. E, nestes momentos, certamente houve espaço para o aprendizado.

Se eles eram muito bravos, bagunceiros ou teimosos, não há como descobrir, mas o certo é que a vida nas ruas serviu para ensiná-los. De um jeito triste, mas eficiente. Na casa nova, dono de um vasto repertório de habilidades, um cachorro adulto está sempre surpreendendo e encantando.

07. Será seu melhor amigo

No início do relacionamento, a convivência com a nova família humana pode ser um pouco difícil. Afinal, é mais que provável que o peludo tenha sofrido poucas e boas enquanto estava perambulando pelas ruas.

Se você adotar um cachorro resgatado, é quase certo que ele tenha passando pelos cuidados veterinários básicos. Caso ele venha da rua, a avaliação médica é uma providência urgente: vermífugos e vacinas precisam ser aplicados e o veterinário poderá avaliar as condições gerais de saúde.

Seja como for, nos primeiros dias, é melhor deixá-lo quieto. É um período de adaptação e avaliação. Também é uma etapa para o cachorro perceber que os dias difíceis chegaram ao fim. Ele ainda não sabe, mas não precisa mais se preocupar com frio, fome, brigas e agressões físicas.

O pet pode estar traumatizado. Não são poucos os perigos que ele enfrentou para chegar até você. O lado positivo é que, apesar de também sofrerem com transtornos emocionais, os cachorros apresentam grande capacidade de recuperação.

Dê um tempinho ao seu novo pet. Permita que ele se aproxime aos poucos. Não se preocupe se ele “roubar” a comida (que você mesmo ofereceu, na verdade), para escondê-la em um canto qualquer. Em precisa reaprender que o alimento é suficiente para todos, sem necessidade de disputa.

Não force uma intimidade que, afinal, ainda não existe. Aos poucos, em três ou quatro dias, ele se aproximará de você. Esta aproximação poderá ser súbita e efusiva, ou gradual, bem estudada.

Os cachorros são grandes estrategistas e, de acordo com o temperamento próprio, cada um as suas técnicas de aproximação, atração e sedução. Você pode aproveitar e divertir-se com os jogos propostos pelo seu novo pet.

Certamente, algumas regressões são possíveis. O tempo pode mudar, talvez um som ou cheiro evoque uma memória menos agradável para o cachorro. Ou talvez a sua agenda o impeça de estar por perto neste “período de experiência”.

O importante é não desistir, nem desanimar. Se for necessário, basta recomeçar. Lembre que ele está vindo do fundo do poço – qualquer centímetro acima é um grande avanço.

É muito difícil que um cachorro adulto demore mais de dez dias para aprender o básico da convivência e perder a desconfiança inicial. Como é natural, ele poderá demonstrar resistência em algumas ocasiões:

  • passeios – ele pode pensar: “será que vou ser abandonado novamente?”;
  • visita ao veterinário – ele pode associar a dor e sofrimento;
  • pessoas estranhas – muitas pessoas o assustaram e até espancaram. Ele pode imaginar que isto está acontecendo outra vez.

Qualquer situação pode evocar eventos traumáticos. O carro pode ser a lembrança do último passeio com o tutor antigo; o barulho da chuva pode parecer a iminência do esconderijo molhado e desprotegido; uma porta fechada pode trazer memórias de fome e frio.

Mesmo assim, em tudo isso, a cada experiência, você encontrará boas recompensas. Dia a dia, o seu novo companheiro estará mais seguro e autoconfiante. Observá-lo tornar-se senhor de si mesmo é extremamente gratificante. Parabéns pela escolha: você fez a coisa certa.

O seu companheiro de quatro patas será eternamente agradecido pelo seu gesto. Tenha certeza de que ele será a própria personificação do melhor amigo do homem.

Postagens Relacionadas