Como lidar com cachorro bagunceiro

Por: em

A chegada de um animal em casa sempre provoca alguns transtornos. Os filhotes ainda não aprenderam como se comportar e têm um mundo novo inteiramente à sua frente, que precisa ser explorado. Já os animais adotados adultos podem vir com maus comportamentos adotados com outros donos ou adquiridos nas ruas.

Um cachorro bagunceiro, no entanto, sempre reflete condutas que em algum momento foram estimuladas. Muitas vezes, ele foi estimulado pelos próprios tutores, que acharam graça em seus pedidos insistentes. Depois de algumas semanas, o animal se transforma em um tirano doméstico.

Isto é absolutamente natural. Assim como os nossos adolescentes, os cães testam os limites, tentando entender até onde podem ir. Se ninguém determinar limitações, eles acharão que “o céu é o limite”, lembrando sempre que é mais fácil ensinar um animal do que corrigir um cãozinho bagunceiro.

Como lidar com um cachorro bagunceiro

Os filhotes bagunceiros

Em geral, filhotes de cães são adotados logo depois de serem desmamados. Por volta dos dois meses, eles já podem conviver com famílias humanas, sem a presença da mãe. Alguns animais são naturalmente mais agressivos ou curiosos, o que os leva a fazer muitas artes e, em diversos casos, deslumbrar os donos com as suas estripulias.

A partir de um ano de idade, os filhotes começam a exibir comportamento destrutivo: acabam com tudo o que aparece na sua frente: móveis, tapetes, sapatos, roupas, brinquedos deixados no chão, etc. Alguns animais podem se revelar como verdadeiros gatunos.

A educação dos cachorros é uma tarefa que tem início no momento em que eles colocam as quatro patas em casa. Pequenos comandos, como “sim” e “não” podem ser ensinados em apenas uma semana. Dá um pouco de trabalho – todas as pequenas transgressões precisam ser corrigidas –, mas é melhor prevenir do que remediar. Como diz um antigo ditado: “é de menino que se torce o pepino”.

Caso isto não seja feito, teremos a companhia de um cachorro bagunceiro, que, em alguns casos, em pouco tempo se tornará um canzarrão, e a bagunça aumentará exponencialmente. Contudo, mesmo nestes casos, nem tudo está perdido.

Como lidar com um cachorro bagunceiro

Resolvendo problemas

Independente da idades, cães são animais muito inteligentes e aprendem com rapidez. Certamente, é necessário respeitar os limites de algumas raças que se prestam menos ao adestramento do que outras, mas todos os animais assimilam os comandos básicos com facilidade.

Os cachorros querem nos fazer felizes. Este é o motivo por que convivemos há tanto tempo (milhares de anos). Eles esperam que as suas atitudes agradem a toda a família. A maioria dos cachorros bagunceiros, porém, não sabe como atingir este objetivo.

A exceção fica por conta dos animais que conseguem se colocar como o alfa da matilha, ou seja, o chefe do grupo. Estes animais passam a se situar no topo da hierarquia e esperam que as ordens e vontades sejam satisfeitas. Esta é uma condição difícil de reverter, especialmente por criadores novatos.

Os demais apenas não sabem o que fazer, não entendem o que torna os outros membros da família insatisfeitos e frustrados. Assim, a primeira coisa a ser feita é demonstrar claramente quais tipos de conduta são esperados e quais devem ser evitados.

Assim, seja com um cãozinho, seja com um molosso, o treinador deve deixar claro o que espera dele. A voz dos comandos deve ser firme, sem necessidade de gritos. Os castigos físicos evidentemente são contraindicados em qualquer situação.

As ordens para um cachorro bagunceiro

Por exemplo, um cachorro bagunceiro – e todos os demais – não sabe qual é a utilidade de um canteiro florido. Para ele, aquilo é apenas um acidente da natureza. Os cães gostam de cavar e podem escolher o precioso jardim para esconder ossos e outros objetos, preparar uma cama fofa e fresca ou simplesmente preencher o tempo ocioso.

Um sonoro “não” em todas as vezes que a atitude se repetir já é incentivo suficiente para eliminar esta má conduta. Nos primeiros comandos, a resposta obediente pode ser recompensada com um petisco, mas, em pouco tempo, não há necessidade de nenhum incentivo para que ele acate o comando.

Como lidar com um cachorro bagunceiro

A insistência quase sempre é a resposta de um cachorro bagunceiro, principalmente quando o mau hábito já está instalado. “Seja a paciência a sua obra perfeita”, diz o ensino bíblico. Insista, mostre-se incomodado (ou indignado) com a travessura e em pouco tempo o problema estará resolvido.

Uma contrapartida é necessária: já foi dito que a bagunça pode ser resultante do tédio. Nestes casos, é necessário um esforço dos tutores para preencher o tempo de folga do pet: ocupar mais tempo com passeios e brincadeiras e propor desafios para os cães: por exemplo, fazê-lo encontrar um brinquedo ou biscoito.

Os cães ficarão exaustos com as atividades, com menos tempo para fazer bagunça.

Além disto, para eles, é um prazer passar mais tempo com os demais membros da família e os cães ficam mais sociáveis e obedientes quando percebem a atenção e carinho dos tutores. Dependendo do porte e da idade, estabeleça brincadeiras como “atirar e agarrar”, “resgatar objetos arremessados”, “pega-pega” ou “esconde-esconde”.

Vale o mesmo para todas as ocasiões. Confira:

• se o cachorro avança para a comida sempre que ela é servida, saltando sobre o tratador para obter o prato mais rapidamente, utilize comandos como “senta” e “fica” para que ele descubra o que está errado. Sirva a ração apenas quando ele permanecer sentado (nos primeiros dias, ficar apenas rondando as pernas, sem saltos ansiosos, pode representar um grande avanço);

• caso o pet destruir objetos, coloque-o de castigo. Não é necessária nenhuma violência. Fale com firmeza sobre o malfeito, junte os pedaços destruídos e deixe-os de frente para o cão. Conforme a gravidade, suspenda algumas regalias a que ele está acostumado: dormir com os tutores, ficar na sala com a família ou ter permissão para entrar na sala. Tudo depende das regras da casa;

• algumas vezes, principalmente em casas com crianças pequenas, os cães precisam ficar sozinhos por um tempo. Não os deixe ociosos, mesmo nestes casos: ofereça brinquedos e curiosidades, para que eles não tenham tempo de pensar em estripulias.

Lembre-se: o principal motivo da bagunça é a falta de atividades e de motivação. Longos sermões não adiantam para nada, mesmo porque cachorros não entendem discursos humanos (mas entendem uma série de palavras). Boas atitudes dos tutores são os principais fatores para acabar com a bagunça dos cachorros e garantir bons momentos de convivência para toda a família.