Cuidados com os cães no inverno

No Brasil, principalmente nas regiões Sul e Sudeste, é só o mês de junho se aproximar que todo mundo já começa a retirar seus casacos, cachecóis, luvas e botas do armário porque o frio está chegando. Mas você lembra do seu cão nessas horas? Os cães muitas vezes no inverno ficam sem a devida proteção e não recebem os cuidados necessários. E nem é por maldade, o fato é que a maioria das pessoas acredita que o cachorro não sente frio por causa dos pêlos, que aos nossos olhos funciona como um casaco para eles.

Isso até pode ser verdade para cães mais resistentes ao frio, como os São Bernardo e Huskys Siberianos. No entanto, alguns cachorros com pelagem mais curta podem sofrer, e muito, na estação mais fria do ano. Alguns chegam até a tremer sem parar. Para que eles não sofram tanto com as baixas temperaturas é válido aquecê-los com roupinhas próprias para cães, desde que não sejam muito apertadas e que os cães, na medida do possível, se sintam confortáveis com elas. Caso o cachorro viva em uma casa com pisos de azulejos ou sem revestimento, dá também para colocar sapatinhos nas patinhas, evitando que eles tenham contato direto com o chão muito gelado.

Outros cuidados podem ser tomados no inverno para que os cães não sofram com o frio e também para que não desenvolvam uma doença típica desta época do ano: a gripe canina, também conhecida como tosse dos canis. Os sintomas são bem parecidos aos de uma gripe comum, como coriza e tosse persistente e seca. Embora esta doença, transmitida por vírus ou bactérias, possa ser causada também no verão ou na primavera, a incidência é bem maior no inverno. Afinal, neste período é bastante comum que cães fiquem fechados em suas casas ou em pet shops, e no contato com outros animais que já a possuem, ocorre a transmissão. Para evitar que o cão fique gripado não deixe de vaciná-lo contra a gripe canina.

Outras formas de prevenção também podem ser adotadas, entre evitar choques de temperatura, principalmente após os banhos e evitar passeios no começo da manhã ou no começo da noite, quando as temperaturas estão lá embaixo. Alimentar o cão mais vezes ao dia também é recomendado, fazendo com que ele tenha mais energia para manter sua temperatura interna. Lembrando que esta última opção não deve ser levada em conta para cães que estão acima do peso.

Além destas recomendações, é importante que o cão não durma ao relento, e caso não seja possível que ele fique dentro de casa durante a noite, é essencial providenciar uma casinha e alguns cobertores para forrar o piso do abrigo.

2 Comentários

Deixe um comentário
  1. Eu me preocupo muito com o meu cãozinho que tem 10 anos. Comprei uma casinha daquelas chamadas “térmicas” justamente para dar o maior conforto a ele mas ela é muito fria (fica fora de casa). Pensei em revestir internamente com algum material mas não me ocorre uma boa ideia de qual material usar e como fixá-lo. Sua sugestão será muito bem-vinda. Parabéns pelas postagens e sucesso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *