Cadela grávida – Como cuidar?

Por

A cadela está grávida e você vai ser avô. Veja como cuidar da futura mãe e dos filhotinhos.

Com a conscientização cada vez maior da importância da castração de pets, a notícia de uma cadela grávida em uma família comum é cada vez mais rara. Mas as cachorras não castradas podem ficar grávidas em algum momento – “por acidente” ou porque os tutores decidiram cruzá-la.

Nesses casos, é preciso dar uma atenção a mais. Assim como as humanas, as cadelas grávidas demandam cuidados especiais nestas oito ou dez semanas, para garantir a saúde dela e dos filhotes que estão chegando.

Como confirmar a gravidez da cadela?                             

Não é preciso esperar a barriga saliente para descobrir que uma cadela está grávida, mesmo porque este detalhe costuma surgir apenas por volta das quatro semanas de gestação; nas cachorras muito grandes, o abdômen pode nem sofrer mudanças.

Em caso de gravidez não planejada, os tutores podem se surpreender com a notícia de que se tornarão avós apenas quando a gestação estiver pela metade. Para determinar o tempo exato, é preciso identificar o histórico do cio – o período em que as cadelas se tornam sexualmente ativas e receptivas aos machos para a cruza.

Cadela grávida

Alguns sinais, no entanto, podem ser indicativos de gravidez. Eles costumam aparecer depois de três semanas do cruzamento e não é preciso que todos estejam presentes. São eles:

  • redução do apetite;
  • aumento das tetas;
  • mudanças de comportamento.

Cadelas grávidas se tornam mal humoradas e, às vezes um pouco agressivas. Elas demonstram pouco interesse nas atividades físicas – mesmo que fossem apaixonadas por elas e exibem um comportamento semelhante ao territorialismo dos machos.

Nesta fase da gravidez, o veterinário já pode solicitar exames de imagens para verificar a evolução dos fetos e as condições gerais da mãe. Mas, se você perceber algum sinal característico antes disso, recomenda-se levá-la à clínica para um exame.

A gravidez das cadelas costuma durar nove semanas. É um pouco mais curta nas cadelas de pequeno porte. Para saber quando começou a gestação, basta lembrar a época em que ocorreu o último cio.

O cio

O primeiro cio das cadelas, um indicativo de que elas atingiram a maturidade sexual (mas não necessariamente física) acontece por volta dos seis meses de idade (um pouco mais tarde nas cadelas de grande porte).

O ciclo estral canino tem duração média de seis meses. Portanto, a menos que a cadela seja esterilizada, o cio (ou estro, o período de receptividade sexual, que dura cerca de nove dias) se repetirá duas vezes por ano, sempre com a possibilidade de gravidez.

Entre as cadelas, não existe a menopausa, o período em que os ovários deixam se liberar células sexuais (que, nas humanas, ocorre por volta dos 50 anos). Desta forma, elas podem engravidar desde os seis meses até os 15 anos de vida – ou mais.

Em uma gravidez planejada, é importante checar a saúde física e emocional da cadela e selecionar o macho de acordo com as características desejadas. Para obter filhotes com pedigree, existem certas exigências das associações de cinofilia.

Se este for o caso, dedique algum tempo para encontrar o “marido ideal”. O casal deve estar vermifugado, livre de parasitas e com as vacinas em dia.

As “surpresas”, quando se trata de gravidez de cadelas, são segredos de polichinelo. Os tutores sabem que a cadela fugiu durante o cio, que o quintal foi invadido por um macho, etc. Caso as providências de segurança não tenham sido tomadas, uma gestação não é surpreendente: é mais do que esperada.

Os cuidados com uma cadela grávida

Confirmada a gravidez – geralmente através de um ultrassom – o veterinário poderá solicitar uma série de exames, principalmente se não tiver um histórico de saúde atualizado. É o início do pré-natal, um cuidado que não se restringe apenas às humanas e seus bebês. Sem o ultrassom, a gravidez pode ser diagnosticada por palpação (toque), mas apenas depois de completadas cinco semanas de gestação.

As orientações do médico variam de animal para animal, mas, em geral, cadelas jovens e saudáveis não apresentam problemas sérios durante a gravidez. Para cuidar da pet em um período tão especial, você pode providenciar:

• uma ração super premium, indicada para cadelas grávidas. Estes alimentos são enriquecidos com nutrientes específicos para o bom desenvolvimento dos filhotes e o bem-estar geral da mãe. Esta ração custa mais caro, mas é um período curto, de apenas algumas semanas;

• a hidratação adequada. Mantenha a cadela nutrida e evite os banhos de Sol diretos por mais de 30 minutos diários. Garanta a oferta constante de água limpa e fresca;

• a atualização da caderneta de vacinação e da vermifugação. Em caso de gestações planejadas, a cruza só deve ocorrer depois que o casal estiver imunizado e vermifugado;

• passeios mais tranquilos. Reduza a intensidade da marcha e, talvez, a duração das caminhadas. Algumas cadelas podem apresentar dificuldades para subir ladeiras íngremes, que, então, devem ser evitadas;

• um ambiente confortável e sem estresse. Se a cadela exerce funções de guarda, por exemplo, é o momento de garantir uma licença do trabalho.

Os passeios devem ser tranquilos, mas não podem ser suspensos, a não ser por orientação do veterinário. As caminhadas condicionam o corpo das cadelas, deixam-nas mais relaxadas e facilitam o futuro trabalho de parto. Além disso, a gravidez não é o momento ideal para o afastamento social.

Em gestações diagnosticadas precocemente, a alimentação deve ser reforçada nas quatro semanas iniciais, etapa em que os embriões estão se formando e demandam nutrientes específicos, como minerais e vitaminas.

Cadelas grávidas costumam perder o apetite a partir da quinta semana, mas devem ser estimuladas a se alimentar normalmente. Os tutores também precisam ficar atentos para impedir um ganho excessivo de peso, que seria prejudicial no parto.

O parto

A menos que ocorram condições excepcionais, o parto das cadelas é sempre feito em casa, sem necessidade de acompanhamento especializado. Uma exceção pode ser as raças de cães braquicefálicos, como buldogues, lhasa apsos e shih tzus, que excepcionalmente precisam de uma cesariana.

No final da gravidez, quando sentem que o nascimento está se aproximando, as cadelas procuram um local tranquilo, quente e seguro. Antes mesmo de virem ao mundo, os filhotes já contam com a segurança e o conforto proporcionados pelas mães.

O parto pode ocorrer a partir do 59º dia da gestação. As cadelas de pequeno porte podem ter o parto antecipado em dois ou três dias.

Escolha um local confortável, livre de correntes de vento, preferencialmente longe do barulho da rua. Instale a cadela e não fique espiando. Ela precisa de privacidade e só sentirá confiança se o ambiente tiver o mínimo possível de interferências.

Uma caixa de papelão pode fazer as vezes de toca, imitando o ambiente procurado pelas lobas na natureza. É uma alternativa para as cadelas mais tímidas e inseguras. Forre o local com toalhas limpas, deixe água e alimento nas proximidades.

Não faça grandes preparativos. O local do parto precisa ser higienizado pelo menos a cada dois dias e uma “maternidade” cheia de lacinhos e penduricalhos só atrapalhará a limpeza, que precisa ser completa, mas rápida, para não indispor a cadela.

Provavelmente, a cadela grávida irá procurar um local escondido, “a salvo” de predadores e interferências climáticas. Tente convencê-la, no entanto, a permanecer em um lugar com acesso fácil. Se for necessário, você precisará chegar rapidamente à “sala de parto”.

Os filhotes começam a se manifestar logo nas primeiras horas de vida, mas, durante a primeira semana, tudo o que eles fazem é mamar e dormir. A cadela se encarrega da higiene.

Os filhotes nascem surdos, cegos e banguelas. Os olhos se abrem ao fim de duas semanas e, alguns dias depois, as orelhas também estão abertas. Neste período, eles começam a ver, cheirar, ouvir e já podem receber alimentos (papinha de desmame e, em seguida, ração macia para filhotes).

A partir da quarta semana, os filhotes passam a interagir com os irmãos, sempre sob a supervisão da mãe, que pode se mostrar ansiosa, desconfiada e mal humorada com “forasteiros”. Começam a despontar os primeiros dentes. Já são independentes, mas devem permanecer com a cadela pelo menos até completarem nove semanas.

Intervenção médica

Os partos são situações corriqueiras na natureza. Todos os procedimentos são operacionalizados pela cadela grávida. Mas, podem haver exceções, e algumas delas não são previsíveis nas consultas de pré-natal.

Depois de iniciado o trabalho de parto, caso a cadela demonstre sofrimento ou um desconforto prolongado, é preciso acessar o veterinário, que poderá deslocar-se para o local ou orientar o encaminhamento para um hospital.

A ajuda profissional é imprescindível nas seguintes condições:

  • quando as contrações param ou perdem intensidade;
  • quando um feto se insinua no canal vaginal mas não progride;
  • quando o intervalo de nascimento entre dois filhotes se prolongar por mais de uma hora;
  • quando a cadela estiver muito extenuada;
  • quando a cadela apresentar sinais evidentes de sofrimento.

Depois que a bolsa amniótica se rompe, todos os filhotes devem vir à luz em seis horas, pouco mais ou menos. Esta é uma média das ninhadas com quatro a seis crias. À medida que os filhotes nascem, certifique-se de que eles estejam livres da placenta e respirando normalmente.

Entre os mamíferos, o parto pode ser desconfortável e cansativo, mas nunca é doloroso (a exceção é para as mulheres). Entre as cadelas, esforço excessivo e muita dor não são sinais de um parto com boa evolução.

Seja rápido. Ao perceber alguma coisa estranha, não hesite em procurar auxílio médico. O veterinário poderá orientar por telefone, visitar a parturiente ou sugerir a transferência para um hospital ou clínica. Quanto antes você agir, maiores as chances de tudo dar certo para a mãe e os filhotes.