Como acabar com o mau hálito do cachorro

É uma queixa muito comum entre os tutores. Veja como acabar com o mau hálito dos cachorros.

O mau hálito do cachorro é uma condição que atrapalha bastante o relacionamento com os tutores. O peludo fica feliz e excitado ao ver o amigo se aproximar, demonstra a alegria com pulos e lambeijos – e o bafinho acaba com a festa.

Entre os filhotes, o “bafo de leite” é comum, mesmo entre os já desmamados. A respiração mais acelerada, uma característica até os seis meses de idade, torna o hálito ao mesmo tempo adocicado e azedo, mas o perfume tende a desaparecer à medida que os cachorros se desenvolvem.

Quando o mau hálito se torna frequente entre os animais mais velhos – a partir de um ano – o problema pode estar na má higienização da boca e dos dentes, mas também pode ser um sinal mais sério. É preciso investigar.

Como acabar com o mau hálito do cachorro

A escovação dos cachorros

Acabar com o mau hálito do cachorro pode ser uma tarefa simples. Os tutores devem ficar apenas atentos: um bafinho desagradável é característico, resultante do acúmulo de saliva que acelera a fermentação dos restos de alimentos na boca.

Mas, se o mau hálito deixa de ser apenas desagradável e parece piorar com o tempo, é preciso levar o cachorro ao veterinário. Este pode ser um sinal de transtornos hepáticos, renais e, com mais frequência, gástricos ou respiratórios.

Eliminadas as suspeitas de doenças mais graves, os tutores só precisam manter a boca dos cachorros limpa. Até algumas décadas atrás, o convívio com os pets não era tão próximo e quase ninguém percebia o mau hálito de um cachorro que vivia no fundo do quintal.

Hoje em dia, até mesmo os cães de guarda são muito próximos e a convivência se tornou muito mais prazerosa. Para continuar garantindo a proximidade, é preciso estar atento à higiene bucal.

Os cães de pequeno porte são os mais beijados e paparicados; por isso, a percepção do mau hálito é notada com mais facilidade. Nestes casos, basta acostumá-los a escovar os dentes, tarefa que deve ser diária ou executada pelo menos a cada dois dias.

Os tutores podem pegar o peludo no colo e limpar os dentes, gengivas e língua com uma escova específica, com uma escova de dentes infantil ou mesmo com uma dedeira.

No caso de cães de médio e grande porte, a tarefa é bastante simplificada quando os animais são acostumados desde filhotes: mesmo que eles não apreciem a escovação, o hábito é mais uma forma de estar perto dos tutores, e eles gostam muito disso. A limpeza dos dentes deve ser realizada por um adulto.

Os tutores precisam providenciar alguns utensílios e técnicas para acabar com o mau hálito dos cachorros:

dedeiras – são mais fáceis de usar, indicadas inclusive para os cães que ainda não estão acostumados. Basta “vestir” o dedo e esfregá-lo em todas as faces dos dentes, na língua, gengivas e bochechas;

escovas – para os cães com focinho alongado, é possível que os dedos do tutor não alcancem os dentes molares do fundo da boca. Existem escovas específicas, com cabos mais longos, que facilitam bastante a escovação. Antes de usá-las, deve-se permitir a “inspeção” por parte dos cachorros, que devem cheirá-las e experimentá-las: elas precisam ser incorporadas à rotina dos peludos.

Como acabar com o mau hálito do cachorro

É possível adquirir cremes dentais e enxaguantes bucais específicos para cachorros (produtos formulados para humanos não devem ser usados). Algumas pastas apresentam odor de carne (as preferidas pelos peludos) ou de hortelã, tutti-frutti, etc.

Estes cremes são apenas um cuidado a mais, mas também uma estratégia para atrair a atenção dos cachorros para a escovação. Eles ficam curiosos com o cheiro e a textura, tornando a tarefa mais fácil.

Os tutores precisam se certificar de que os cremes não tenham flúor na composição e, no caso dos enxaguantes, devem ser livres de álcool. Os cachorros não sabem cuspir, acabam engolindo a maior parte dos produtos e tanto o álcool quanto o flúor são tóxicos para o organismo canino.

O ideal é envolver a limpeza com brincadeiras e, especialmente para os adultos que não desenvolveram o hábito, oferecer alguma espécie de recompensa, que pode ser um brinquedo ou um petisco – nas pet shops, é possível encontrar mordedores e ossinhos que complementam a higiene bucal. Além disso, eles deixam os cachorros satisfeitos e ocupados por um bom tempo.

Mau hálito e mastigação

Na natureza, os animais resolvem o problema do mau hálito – na verdade, dos transtornos que o provocam, como acúmulo de tártaro e formação da placa bacteriana – simplesmente mastigando. Os lobos e outros parentes dos cachorros, como hienas e chacais, passam boa parte do tempo roendo os ossos das presas capturadas e até mesmo mastigando raízes mais resistentes.

É uma limpeza mecânica, em que os restos dos alimentos presos aos dentes são gradualmente retirados. Os cachorros não fazem ideia de que o mau hálito seja um problema, mas é possível garantir esta forma de higiene também em casa.

Os tutores podem providenciar brinquedos para os cachorros se entreterem – esta é inclusive uma estratégia para eles não ficarem entediados quando estão sozinhos. Alguns peludos preferem objetos barulhentos, como chocalhos e bolas com apitos.

Outros dão preferência aos brinquedos silenciosos, muito parecidos com os mordedores oferecidos para bebês quando os primeiros dentes de leite estão despontando e causando incômodo e mal-estar.

É preciso apenas garantir que os objetos não se quebrem com muita facilidade, formando pontas ou deixando pedaços pequenos, que podem ser engolidos e causar engasgos ou até mesmo uma asfixia mecânica.

Há também ossinhos, bifinhos e outros petiscos – e a vantagem é que eles podem ser engolidos. O importante é observar se as guloseimas não interferem na dieta alimentar e se os ingredientes são adequados para os cachorros.

Alguns fabricantes desenvolveram petiscos específicos para a limpeza bucal que não aumentam a ingestão calórica. A Purina lançou a Linha Dental Life, a Pedigree, o Dentastix e a Keldog, o Kelco Dental. Brinquedos resistentes, como os da Buddy Toys e da Pet Games, também ajudam na higiene e não prejudicam a saúde.

Acabar com o mau hálito do cachorro

• Especialmente entre os cachorros de pequeno porte, é frequente que os dentes de leite não caiam quando a dentição permanente está despontando. O resultado são dentes encavalados, que acumulam muito mais restos, saliva e bactérias. Em muitos casos, é preciso extrair os primeiros dentinhos.

Como acabar com o mau hálito do cachorro

• A higiene bucal é uma tarefa simples e pode ser muito facilmente incluída na rotina dos cachorros. Os tutores precisam de um pouco de tempo e paciência para acostumá-los, mas esta é uma das obrigações de quem se responsabiliza por outros seres vivos.

• Se o cachorro apresentar sangramentos na gengiva, é preciso investigar. Pode ter ocorrido um acidente qualquer, que lesionou a mucosa. Provavelmente o peludo passará algumas horas escondido e incomodado. Se o problema persistir, é preciso levá-lo ao veterinário.

• Os sangramentos também podem ser resultantes da gengivite, uma inflamação da gengiva relativamente comum em cachorros que tiveram a higiene bucal negligenciada. É importante tratá-la antes que surjam problemas mais graves.

• Dentes amarelados, inclusive com as raízes escuras, indicam o acúmulo de tártaro e da placa bacteriana, uma proliferação excessiva dos germes que colonizam naturalmente a boca dos cachorros. Pode ser necessário fazer uma limpeza mecânica dos dentes – e apenas um veterinário tem os instrumentos e domina as técnicas necessárias.

• A placa bacteriana não é apenas um problema estético, que torna a boca dos cachorros muito mal cheirosa. Ela pode ser responsável pela perda de dentes e, em casos mais graves, até mesmo de endocardite, uma inflamação do músculo do coração, que prejudica o bem-estar e abrevia a expectativa de vida dos peludos.

Receba notícias e histórias do Cães Online no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/caesonline.

Postagens Relacionadas