InícioHistórias FelizesEle odiava cachorros pequenos, mas um chihuahua o fez mudar de ideia

Ele odiava cachorros pequenos, mas um chihuahua o fez mudar de ideia

Este homem não gostava de raças pequenas de cachorros, até que um chihuahua entrou na sua vida. Entenda!

Sheridan Oliver Martin é uma enfermeira intensivista que mora em Asheboro, na Carolina do Norte (leste dos EUA). Quando Sheridan decidiu que o próximo membro da família seria uma chihuahua, o marido protestou: ele odiava cachorros pequenos.

Gregoire Sinclair Martin tinha as suas preferências e não pretendia dividir a casa com um cachorro pequeno. De acordo com ele, os nanicos são “agressivos, violentos, pouco confiáveis, não servem para nada”. Definitivamente, chihuahuas estavam longe dos planos dele.

ele-odiava-cachorros-pequenos-mas-um-chihuahua-o-fez-mudar-de-ideia
Créditos: SHERIDAN OLIVER MARTIN

A família Martin

Além de Sheridan e Sinclair, a família tinha outro membro: Merlin, um cachorro mestiço de pastor alemão e pitbull. O tutor queria um companheiro para Merlin, um animal grande e durão que fosse capaz de brincar com o mestiço.

Para Sinclair, cachorros pequenos não se prestariam a isso. Além disso, os nanicos também eram considerados “tagarelas e malvados”. O preconceito estava muito bem estabelecido, mas Sheridan decidiu mudar a situação – e as opiniões.

Ela insistiu bastante com o marido, que, além de não gostar de cachorros pequenos, havia tido uma experiência ruim na adolescência, justamente com um chihuahua. Sheridan conseguiu arrancar do marido uma promessa: no aniversário, ele “tentaria” encontrar um nanico mexicano para ela.

ele-odiava-cachorros-pequenos-mas-um-chihuahua-o-fez-mudar-de-ideia
Créditos: SHERIDAN OLIVER MARTIN

Uma semana antes do aniversário, o casal encontrou um chihuahua em um canil. Sinclair passou vários dias insistindo em que a responsabilidade pelo cachorrinho seria integralmente da esposa. O homem não queria criar vínculos com nenhum nanico.

Finalmente, o casal Martin adotou Pickles, um simpático chihuahua que, ainda no carro, na viagem de volta para casa, parece ter percebido que o tutor não estava disponível para um relacionamento proveitoso.

Pickles aparentemente tinha outros planos. Ele simplesmente se aninhou no colo do tutor, pousou os olhinhos castanhos e serenos no rosto do “pai” e dormiu durante toda a viagem para casa.

ele-odiava-cachorros-pequenos-mas-um-chihuahua-o-fez-mudar-de-ideia
Créditos: SHERIDAN OLIVER MARTIN

O preconceito de Sinclair foi vencido rapidamente. Se, enquanto iam buscar o cachorro, o casal Martin discutia sobre as responsabilidades em relação ao peludo, já no primeiro dia o tutor praticamente se apropriou do chihuahua.

É ele quem limpa as patas de Pickles quando eles retornam dos passeios, quem veste o chihuahua nos dias frios e, todas as noites, coloca o peludo para dormir na cama do casal. Para quem odiava cachorros pequenos, a mudança de Sinclair foi notável.

Pickles também não desapontou com relação ao irmão. O cachorrinho é extremamente ativo e atlético e, enquanto está acordado, só quer saber de correr, pular e lutar com Merlin. Para os dois cachorros, o tamanho não é um problema de forma alguma.

O chihuahua é extremamente versátil e muito sociável. Nas caminhadas diárias – quase sempre na companhia de Sinclair – Pickles faz novas amizades e transforma em fãs todos os “odiadores de cachorros pequenos”.

ele-odiava-cachorros-pequenos-mas-um-chihuahua-o-fez-mudar-de-ideia
Créditos: SHERIDAN OLIVER MARTIN

Merlin e Pickles estão sempre perto um do outro e fazem juntos todas as tarefas de guarda, companhia e brincadeiras. O mestiço pesa 45 kg e o chihuahua, apenas 2,5 kg, mas eles parecem não notar as diferenças.

O chihuahua também encanta pelas dezenas de expressões fisionômicas que aprendeu sozinho, algumas delas muito semelhantes a “caras e bocas” humanas. Ele gosta de se fazer de palhaço e adora ser o centro das atenções.

Sinclair foi forçado a admitir que Pickles consegue convencer qualquer um a gostar dele. Ele também conquistou o pai do tutor, que anteriormente fazia o mesmo discurso sobre não gostar de cachorros pequenos.

O cachorrinho consegue fazer todos se sentirem especiais. A qualquer pessoa que se aproxime, em casa ou na rua, ele faz questão de tratá-la como se fosse a melhor do mundo. E todos se encantam pela personalidade de Pickles.

A opinião de Sinclair mudou. À reportagem do site The Dodo, ele declarou: “Pickles tem um jeitinho de fazer você sentir o amor dele. Ele age como se cada pessoa fosse a sua favorita e é difícil resistir a isso”.

Sheridan e Sinclair utilizam terapia com cavalos em seu dia a dia profissional. Pickles aprendeu rapidamente a se relacionar com os equinos e está se preparando para atuar como cão terapeuta. Com a personalidade expansiva e amorosa, ele certamente será muito útil nos tratamentos.

Em tempo: cachorros pequenos não são mais agressivos ou maliciosos do que os demais. Alguns deles, no entanto, podem desenvolver muito medo na relação com humanos, justamente porque qualquer movimento pode feri-los. Mas os nanicos, assim como os gigantes, aprendem rapidamente como se tornarem os melhores amigos da família.

Para acompanhar as aventuras de Pickles, siga-o no Instagram.

Amaury Almeida Costa
Amaury de Almeida Costa ([email protected]) é redator publicitário há mais de 30 anos. Escreve para diversos blogs desde 2008. Presente nas redes sociais desde a época do Orkut, foi editor da revista Animanews, sucesso editorial do final dos anos 1990, que trazia informações sobre pets – além de cães, gatos e aves, trazia informações sobre répteis, anfíbios, peixes e invertebrados de estimação.
RELACIONADOS

Últimas Publicações