Por que os cachorros gostam de se apoiar nos tutores?

Cachorros gostam de se encostar, usando o corpo dos tutores como apoio. Entenda por quê.

Cachorros gostam de se apoiar nos tutores? Os cachorros são animais gregários. Isto significa que eles evoluíram interagindo em grupos, que foram se tornando mais e mais sofisticados, com diversas funções e níveis hierárquicos específicos. Em casa, eles identificam os tutores como os líderes, e o melhor lugar para ficar é justamente ao lado, até mesmo apoiando-se, em alguns momentos, no corpo dos humanos da família: é um local de segurança, aconchego e bem-estar.

Imagine, na natureza, um lobo solitário (os cachorros descendem dos lobos). Ele está por conta própria para encontrar alimento, abrigo, para defender-se. Ficar sozinho, no entanto, não é uma boa estratégia de sobrevivência. Sem a segurança da alcateia, ele está exposto a uma série de ameaças.

Por que os cachorros gostam de se apoiar nos tutores?

Alguns cachorros são mais independentes, mas eles não prescindem da presença dos humanos. Sem os tutores para alimentá-los, educá-los, brincar e passear com eles, os peludos podem se tornar agressivos, destrutivos, deprimidos e ansiosos.

Apoio físico e emocional

A maioria dos tutores experimenta momentos em que os cachorros se apoiam no corpo. Quase sempre, a situação explica os motivos: durante uma tempestade, é melhor ficar ao lado do humano favorito – é uma espécie de garantia de que nenhum raio cairá pelos arredores.

Quando um estranho chega à casa, quando ruídos estranhos se fazem ouvir, quando alguma coisa inusitada acontece durante as caminhadas diárias, os cachorros repetem o gesto: aproximam-se da perna dos tutores, encostam o corpo e, com isso, sentem-se aliviados e protegidos. O “alfa da matilha” sempre sabe o que deve ser feito.

O contato físico, de qualquer maneira, é sempre bem-vindo para os cachorros. A maioria adora dormir com os tutores e trabalha a proximidade de acordo com as regras da casa: fica aos pés dos tutores, aconchega a cabeça, pula no colo, etc.

Os cachorros preferem ter uma rotina previsível, com tudo no lugar e todas as necessidades (e vontades) satisfeitas a hora e a tempo. Por isso, alguns deles, quando sentem que há algum perigo rondando o ambiente familiar, chegam a “colar” o focinho na canela do tutor, seguindo-o por toda a parte.

Por que os cachorros gostam de se apoiar nos tutores?

O contato físico traz reminiscências prazerosas para os cachorros. Os filhotes, por exemplo, tendem a se amontoar no ninho, junto com a mãe, em busca de agasalho e aconchego. Uma das melhores formas de adaptar um cãozinho na casa nova é fornecer almofadas ou bichos de pelúcia para que ele se encoste: ele instantaneamente evoca a presença da família, sente-se e segurança, relaxa e adormece.

Os humanos também contribuíram para a fixação do hábito. É muito difícil, para os amantes dos cachorros, ficar ao lado de um peludo sem fazer um chamego, um cafuné, um afago. Naturalmente, eles se sentem muito confortáveis com os carinhos e passam a procurá-los o tempo todo.

Evidentemente, os cachorros devem ser estimulados a desenvolver a autonomia. Eles precisam aprender a ficar sozinhos, brincar, explorar o ambiente, defender a casa e a família, etc. Faz parte da educação canina a reserva de alguns momentos especiais para os afagos, como a hora do descanso noturno, por exemplo.

Alguns cachorros são adotados especificamente para proteger o patrimônio, seja de residências, seja de empreendimentos comerciais e industriais. Mas mesmo estes cães de trabalho precisam ter momentos de interação com os tutores (ou treinadores), para garantir o equilíbrio emocional. Os peludos se adaptam às mais diversas condições, mas é necessário prover o necessário para que eles sejam estáveis; do contrário, podem surgir transtornos como ansiedade, agressividade excessiva, depressão, etc.

Os cachorros que passam longas horas sozinhos diariamente precisam ter substitutos para o apoio que eles obtêm dos humanos. Quando ficam em casa para os tutores desempenharem as suas funções sociais, é preciso garantir que eles fiquem entretidos.

Por que os cachorros gostam de se apoiar nos tutores?

Isto pode ser garantido de diversas maneiras. O ambiente em que os animais ficam quando a família humana não está em casa precisa ter brinquedos, uma janela para que eles possam observar o ambiente ao redor da casa, um aparelho sonoro programado para ser acionado por alguns minutos, alimentos e petiscos, uma peça de roupa do tutor, etc.

Não é preciso gastar muito dinheiro. Os brinquedos precisam ter “cara de novidade”. Mas isto pode ser obtido com o revezamento dos objetos. Basta deixar dois ou três brinquedos à disposição e guardar os demais, para apresentá-los uma semana ou dez dias depois.

A janela não precisa ser voltada para a rua. Os cachorros conseguem se distrair observando passarinhos e pombas, ruídos vindos do ambiente externo e até mesmo com a passagem de vizinhos e prestadores de serviços pelo corredor.

A peça de roupa do tutor não precisa ser usada. O olfato dos cachorros é extremamente poderoso e eles são capazes de identificar “pistas” da presença humana mesmo em uma peça que acabou de sair da lavadora de roupas. O cheirinho do amigo conforta e proporciona sensação de segurança e estabilidade.

Nada disso, no entanto, substitui o contato com os humanos prediletos. Ao voltarem para casa, os tutores precisam dedicar alguns momentos para brincar com os cachorros e receber os carinhos, lambidas e festejos.

Além disso, por mais corrido que seja o dia a dia, os humanos precisam reservar um tempo para os passeios na rua. As caminhadas são fundamentais para os cachorros se socializarem, encontrarem humanos e cachorros desconhecidos, identificarem “pistas importantes” e, claro, exercitarem-se fisicamente.

Os problemas

Na convivência com humanos, alguns cachorros podem se revelar verdadeiros tiranos, exigindo atenção excessiva (ou exclusiva, em alguns casos) por parte dos tutores. Esta condição pode ser verificada principalmente entre os peludos que recebem o que se pode chamar de “excesso de atenção”.

Um dos principais erros na educação dos peludos é a tentativa de humanizar os cachorros. É preciso deixar claro: eles pertencem a outra espécie, não são bebês humanos e não devem ser tratados como tais: isto gera sofrimento e desvios de comportamento.

Por que os cachorros gostam de se apoiar nos tutores?

Não há nada de errado em paparicar os cães, carregá-los no colo, enfeitá-los com roupas e acessórios. O problema está nos exageros. O menor dos cãezinhos – um pequeno yorkshire terrier ou um chihuahua, por exemplo – possui a mesma estrutura anatômica e psicológica de um lobo.

Os cães podem ser mimados e rodeados por confortos, mas também precisam ter o direito de caminhar, correr, seguir rastros, identificar a presença de novos amigos (ou eventuais desconhecidos).

Todos eles, sem exceção, são naturalmente guardiães e protetores da casa e da família. É certo que um lulu da Pomerânia ou um pinscher miniatura pouco pode fazer contra um invasor, mas eles dão o alerta de que há um intruso nas redondezas, que é sempre sonoro, agitado e muito intenso.

Os cães sempre procuram a presença dos tutores, que os deixa mais confortáveis e seguros. Quando eles passam a exigir esta presença, no entanto, alguma coisa está muito errada na relação. É preciso corrigir a rota, oferecer oportunidades para que eles sejam o que são: cachorros. Desta maneira, toda a família fica feliz.

Receba notícias e histórias do Cães Online no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/caesonline.

Postagens Relacionadas