12 raças de cães que mordem menos

Por: em

Todos os cães podem morder, mas alguns são mais seguros. Conheça as raças que mordem menos.

Quando se pensa em adotar um cachorro, uma das primeiras preocupações é a segurança com os familiares, visitantes e até estranhos. Enquanto alguns cães são conhecidos pela agressividade, outras raças mordem menos, por serem mais independentes ou, por outro lado, por terem desenvolvido o instinto de guarda e proteção.

Seguir Cães Online no Facebook

Antes de tudo, é preciso dizer que todos os cachorros podem morder; este é um ato instintivo, não apenas de defesa e ataque (eles são animais predadores), mas a mordida também é uma forma de conhecer o mundo e delimitar o próprio território.

O porte da raça não é tão importante na hora de escolher. O pinscher miniatura, por exemplo, é conhecido por ser “metade ódio, metade tremedeira”. Exageros à parte, pinschers, chihuahuas e lulus da Pomerânia também podem “meter os dentes”.

As consequências, é claro, são muito diferentes. A mordida de um nanico pode causar um esfolado (e algum susto), enquanto o ataque de um doberman mal adestrado chega até mesmo ser fatal. Mas alguns grandões, como os collies (border, bearded e rough) e os retrievers (dourado, do Labrador e cão d’água português), são dóceis e amigáveis.

Eles mordem menos

A seguir, relacionamos as raças de cães menos propensas a ataques e mordidas, que podem ser adotados sem medo. É importante lembrar, no entanto, que os cachorros são seres sencientes – eles sentem emoções e sensações – e, por isso, o comportamento depende do relacionamento e do adestramento proporcionado para eles.

01. Retriever do Labrador

Trata-se de um cão bastante equilibrado. Ele é dócil e amoroso, mas também é um pouco bagunceiro. O American Kennel Club (AKC), uma das principais associações cinológicas dos EUA, considera o Labrador como o cão mais popular do país.

racas-de-caes-que-mordem-menos

O retriever do Labrador é um cão inteligente (uma excelente opção para o adestramento), sensível e extrovertido. Criado de forma adequada, ele sempre exibe autoconfiança e muito fidelidade, inclusive aos outros pets da família.

Este é um cão muito brincalhão, sempre disposto a correrias e atividades muito intensas. Por ter sido desenvolvido para recuperar (“retrieve”, em inglês) presas abatidas na água, o retriever do Labrador adora brincadeiras com água: um lago, uma piscina, uma mangueira ou mesmo um borrifador.

É um animal paciente e tolerante, bom companheiro para crianças pequenas, idosos e pessoas com limitações na locomoção. Por outro lado, é um cão de porte médio para grande: quando está muito excitado, pode derrubar os companheiros de brincadeiras, exigindo, desta maneira, a supervisão de um adulto.

Como a maioria dos cachorros, o retriever do Labrador não é rancoroso nem vingativo, mas parece não ter noção do próprio tamanho e força. Sempre disposto a interagir com a família, às vezes ele acaba destruindo objetos.

A raça é uma das mais comuns entre cães terapeutas. O retriever do Labrador é basicamente um cão de companhia, mas é versátil e pode ser adotado para acompanhar idosos e crianças, pessoas deprimidas, convalescentes ou portadoras de deficiências. Este peludo é também um excelente cão-guia.

02. Lhasa apso

O cão é o símbolo do Tibete, país asiático situado em plena cordilheira do Himalaia. Muito peludo – ele é proveniente de regiões frias – os principais cuidados com os cães da raça são a escovação, banho e tosa.

racas-de-caes-que-mordem-menos-1

O lhasa apso tende a ser gentil, amoroso e dócil. É um animal sempre alerta – de acordo com as lendas, ele era responsável pela guarda dos templos budistas instalados nas montanhas do Himalaia. Por ser um cão de pequeno porte, não foi desenvolvido para atacar, mas para indicar a presença de eventuais perigos.

Os cães da raça são também dedicados e muito brincalhões. Os filhotes são especialmente curiosos e, por isso, requerem atenção para não se meterem em encrencas (pelo menos, não muitas). Quando adultos, os lhasa apsos são gentis, afetuosos e muito ligados aos membros da família.

O lhasa apso é também muito inteligente e, principalmente, gosta de agradar os tutores. Desta forma, ele aprende comandos e truques com facilidade. Estes cães são determinados e persistentes – alguns podem ser considerados teimosos.

O pequeno porte do lhasa apso pode enganar: ele não é um cachorro frágil. No idioma tibetano, o nome significa “cão leão peludo”. Ele é esperto, intenso, dedicado e dotado de uma dose imensa de autoconfiança.

Os cães da raça adoram brincar, sendo especialmente indicados para viver em casas com crianças. É preciso exercitá-los com alguma intensidade: um passeio diário de 30 minutos e alguns jogos e treinos durante o dia garantem o equilíbrio físico e emocional destes pequenos pets.

03. Pug

Este é um cão agitado, brincalhão, engraçado e muito companheiro. O focinho curto não permite a prática de exercícios muito intensos – o pug perde o fôlego com facilidade –, mas nada impede que ele se divirta e divirta a família.

racas-de-cachorros-que-mordem-menos-2

Além de dócil e afetuoso, o pug é também um cachorro silencioso: ele raramente late. Esta característica o torna especialmente indicado para quem mora em apartamento e não quer ter problemas com reclamações de vizinhos. O pug é também bastante higiênico.

Apesar da pelagem curta, quase rente ao corpo, o pug solta muitos pelos. Por isso, é preciso escová-lo a cada dois dias e dar banhos a cada três ou quatro semanas. Entre os cães de focinho achatado, os cães da raça são considerados os mais agitados.

O pug é extremamente leal, confiável e tolerante. É a raça ideal para crianças pequenas, que costumam “inspecionar” olhos, orelhas e focinhos dos pets. Rosnar e avançar não são características esperadas nos cães da raça.

Apesar de parecer ligado nos 220 volts, o pug é um cachorro sensível, carinhoso e muito apegado com todos os membros da família. Ele também se dá bem com outros cães e gatos. Não é um animal territorialista, nem dominante.

Ao lado da agitação, a curiosidade é a principal marca do pug. Qualquer objeto novo se torna diversão para ele, que costuma brincar com pés de móveis, cortinas e principalmente objetos pendurados. Apesar disso, ele não costuma ser destrutivo. Ele pode ficar sozinho por algumas horas, mas requer atenção quando os tutores finalmente voltam para casa.

04. Poodle

Ele pode parecer elegante e aristocrático, mas é basicamente um animal brincalhão, agitado e bagunceiro. Não importa o tamanho – toy, miniatura, standard ou gigante – o poodle é um animal resistente, curioso e cheio de energia. É também sensível e extremamente inteligente.

racas-de-cachorro-que-mordem-menos-3

Quem gosta de poodles pode escolher o tamanho adequado, de acordo com a família e a casa em que o pet irá morar. Enquanto o toy atinge apenas 27 cm de altura (na cernelha), o poodle gigante pode chegar a 60 cm (a maioria dos grandões, no entanto, não ultrapassa os 50 cm).

O poodle não é de forma nenhuma um animal tranquilo. Ele tem espírito atlético e gosta de correr, nadar e investigar os ambientes em que circula. Os tutores precisam ter pique para conviver com eles. De qualquer maneira, um poodle sabe dosar a quantidade de energia, tornando-se um bom companheiro para crianças, idosos e pessoas praticantes de esportes.

O poodle precisa de cuidados especiais com a pelagem. A tosa clássica é necessária apenas para animais esportistas, por garantir aquecimento na cabeça, peito e articulações, mas estes cães podem fazer a tosa carequinha, ideal para o verão brasileiro (que, em alguns locais, dura mais de dez meses a cada ano).

Mesmo nas versões toy e miniatura, o poodle não é um cão de colo: ele gosta de correr, pular, caminhar por longas distâncias. Apesar de todo cachorro merecer ser mimado, os excessos podem prejudicar o equilíbrio emocional, tornando estes cães irritadiços e pouco confiantes.

05. Beagle

Ele é um caçador: por isso, a personalidade exibida por Toby em “O Cão e a Raposa” é altamente improvável. De qualquer maneira, o beagle é agitado, intenso, cheio de energia, divertido, barulhento, gentil e muito afetuoso.

racas-de-cachorros-que-mordem-menos-4

Todos os cães são gregários e sociáveis, mas o beagle foi desenvolvido para caçadas em bandos e, por isso, estas características são ainda mais pronunciadas entre os cães da raça. O beagle é um excelente companheiro: extremamente leal, comprometido, valente e determinado.

Os cães da raça são extremamente excitáveis. Basta ouvirem o som da voz do tutor ou verem uma bolinha na mão que eles já estão prontos para a brincadeira. Por outro lado, eles são muito curiosos e podem ficar entretidos por bastante tempo quando querem entender como alguma coisa funciona.

O beagle é um cachorro barulhento: se ele for criado em uma casa, provavelmente latirá para todas as pessoas e carros que passarem na rua. Mas ele está longe de ser um cão de guarda. Os latidos quase sempre são um convite para a brincadeira.

Os tutores precisam estar preparados para a convivência com um parceiro fiel, constante e muito agitado – o que, às vezes, pode se traduzir em bagunça e alguns “acidentes domésticos”. O beagle gosta de companhia constante e é um bom companheiro para crianças maiores, adolescentes e adultos.

Os cães da raça aprendem os comandos básicos rapidamente, mas não são muito empenhados em adestramentos mais complexos. Eles são muito determinados e, quando não querem fazer alguma coisa, simplesmente não fazem.

06. Golden retriever

É mais um cachorro de grande porte que raramente se mostra agressivo ou violento. A raça vem se tornando cada vez mais popular no Brasil: amável, fiel e muito versátil, o golden retriever é um dos campeões de registros no país.

racas-de-cachorros-que-mordem-menos-5

O golden retriever é um cão elegante, inteligente e bastante acostumado ao convívio humano. Muitos cães da raça são escolhidos como cães-guia e terapeutas, mas eles também são ágeis o suficiente para se envolverem em tarefas policiais.

Em função do porte e da capacidade física, o golden retriever requer adestramento firme desde filhote e muitas atividades físicas e intelectuais durante a vida inteira, para que não desenvolva comportamentos inadequados, como ansiedade e depressão.

Caso estes cães não tenham atividades suficientes, eles podem se tornar destrutivos, mas raramente agridem humanos (mesmo desconhecidos) e outros animais. São pets para quem quer companhia, não se adequando a atividades de guarda e vigilância.

Mesmo assim, o golden retriever é dotado de forte espírito protetor, o que o torna ideal para a convivência com crianças e com adultos que requerem atenção. Os cães da raça são companheiros da família toda e costumam demonstrar reações diferentes de acordo com os interlocutores.

Carinhoso talvez seja o adjetivo que melhor define o golden retriever. Ele sabe cativar as pessoas com o seu jeito amável e brincalhão. Trata-se de um animal muito confiante, seguro de si. O ideal é criar um cão da raça em casas com quintais espaçosos – ou, então, ter disponibilidade para sair e brincar três a quatro vezes por dia.

07. Dachshund

Também chamado de teckel, o popular salsicha é agitado e cheio de vida. Apesar do pequeno porte e do aspecto frágil, este é mais um caçador, famoso pelo faro e pela capacidade de desentocar ratos, marmotas e texugos.

racas-de-cachorros-que-mordem-menos-6

O dachshund frequentemente é confundido com o basset hound. As duas raças apresentam o corpo alongado e orelhas caídas, mas o temperamento é bastante diferente. O dachshund é agitado e muito expressivo, enquanto o basset hound é mais tranquilo e bonachão.

Os cães da raça podem desenvolver forte comportamento protetor. É difícil que eles se mostrem agressivos, mas têm a tendência de “mostrar as preferências” e também podem desenvolver características dominantes.

É importante adestrar o dachshund desde filhote, principalmente fazendo-o conviver com outras pessoas e animais. Ele precisa ser bem socializado, para não concluir que precisa defender o tutor de qualquer maneira.

Há variedades de pelo curto e longo. Os cães de pelagem comprida requerem escovação diária; os demais podem ser escovados a cada três ou quatro dias, apenas para eliminar os pelos mortos.

O dachshund tem tendência a ganhar peso, o que é bastante ruim, considerando a coluna vertebral alongada, que já suporta muito peso. Por isso, é importante oferecer quantidades moderadas de alimento e evitar os lanchinhos.

Os cães da raça são muito curiosos e valentes e os tutores precisam ter atenção para evitar que eles se metam em encrencas. Um dachshund não pensa duas vezes se tiver de enfrentar outro cão, mesmo que seja um dogue alemão.

Eles também podem ser bastante teimosos e, por isso, precisam que pelo menos um membro da família seja firme. Bem equilibrado, o dachshund é um excelente companheiro para crianças e outros pets.

08. Buldogue inglês

A raça foi desenvolvida para a luta com outros animais – inclusive touros e ursos. Os tempos de pugilato do buldogue inglês, no entanto, ficaram para trás. Os cães atuais são tranquilos, bonachões, amigáveis e amáveis.

racas-de-caes-que-mordem-menos-7

O buldogue inglês é bastante dócil, mas pode ser muito voluntarioso e persistente. É mais uma raça de focinho achatado, característica que reduz a capacidade cardiorrespiratória destes animais. Por isso, os cães da raça preferem atividades mais tranquilas: um passeio curto por um terreno não muito acidentado, alguns minutos diários de brincadeiras com uma bolinha e muitas sonecas no sofá da sala.

Apesar da cara de mau, o buldogue inglês é um cachorro extremamente dócil. Nas aventuras de Tom e Jerry, é sempre um cão da raça que ataca o gato, mas, na vida real, ele raramente exibe comportamento agressivo. Os dentes sempre à mostra surgem apenas em função do ligeiro prognatismo que eles apresentam.

Os cães da raça são amigáveis e leais, mas também são voluntariosos e persistentes. Em outras palavras, o buldogue inglês é um cão teimoso, que faz o que quer, na hora que quer. O comportamento pode ser atenuado quando ele ainda é filhote.

De qualquer forma, estes cães dificilmente se mostrarão expansivos e agitados, apesar de serem muito atentos ao que acontece ao redor. São animais leais, fiéis à família (inclusive outros pets) e extremamente confiáveis.

Eles gostam da companhia dos tutores e são muito tolerantes com crianças, mas preferem atividades amenas. O buldogue inglês é um excelente companheiro para idosos e para pessoas que passam parte do dia fora de casa, apesar de adorarem a companhia dos tutores, mesmo que seja apenas para um cafuné.

09 Shih tzu

Conta a lenda que o shih tzu é resultante o cruzamento do pequinês (originário da China) com o lhasa apso (do Tibete). A raça teria surgido quando os dois povos firmaram uma trégua. O shih tzu é símbolo da paz e da concórdia.

racas-de-caes-que-mordem-menos-8

Trata-se de uma das raças caninas mais antigas: já imagens de cães semelhantes ao shih tzu datadas de mais de mil anos. É um cachorro de companhia, apesar de estar sempre atento ao que se passa ao redor.

O padrão da raça afirma que o shih tzu é um cão digno e elegante, mas nem por isso ele pode ser descrito como arrogante. Os cães da raça se dão bem com a família inteira, fazem amizade nos passeios diários e recebem muito bem os visitantes – muitas vezes, aconchegando-se no colo deles sem cerimônia.

O shih tzu é um perfeito cão de colo e companhia. Ele adora afagos e cafunés, mas não resiste a correrias com as crianças. Eles precisam de companhia, para não desenvolver ansiedade e medo excessivo de estranhos.

Estes cães adoram brincar. Em função do porte pequeno e do focinho achatado, as brincadeiras não podem ser muito intensas, mas o shih tzu se diverte com esconde-esconde, buscar bolinhas e gravetos ou apenas caminhar ao lado dos tutores.

Por outro lado, o shih tzu pode se revelar bastante teimoso. É preciso adestrá-lo desde filhote, para que ele assimile os comandos básicos e compreenda as regras da casa. É um cãozinho perfeito para crianças e para quem gosta de mimar e acariciar.

10. Maltês

É uma das menores raças caninas, com altura média de 25 cm (na cernelha). Mas não se trata de um cão frágil: filhote ou adulto, ele se mostra expansivo, cheio de energia, muito apegado aos tutores – um verdadeiro chicletinho.

racas-de-caes-que-mordem-menos-9

O maltês é muito ágil e ativo: ele passa a impressão de que a casa está cheia de cães, porque parece estar em muitos lugares ao mesmo tempo. Ele gosta de explorar e brincar, mas não dispensa o colo e o carinho dos tutores.

Ele é o típico “filho único”: o maltês não gosta de dividir espaço e atenções com outros pets. Com os demais membros da família, no entanto, ele é extremamente dedicado, leal e bom parceiro de crianças.

O maltês também pode ser considerado um cão de guarda eficiente. Ele não dá conta de render um intruso, mas nenhuma presença estranha passa despercebida dele. Atento e alerta, ele late em alto e bom som sempre que alguma coisa está diferente ou alterada.

Por ser muito apegado, o maltês não suporta ficar sozinho (pelas mesmas razões ele não gosta de ser ignorado). Os cães da raça são ideais para companhia a toda a família, dos bebês aos avós. Ele não costuma ter preferência entre os membros da família.

Ele late muito, não é agressivo, mas pode ser destrutivo, principalmente quando está entediado. O maltês é capaz de destruir almofadas e pés de móveis se perceber que não está sendo o “centro das atenções”. Equilibrado, ele se torna companheiro de todas as horas, sempre pronto a dividir uma brincadeira, um carinho ou até mesmo o silêncio com os tutores.

11. Buldogue francês

Se o colega inglês brilhou nas rinhas de animais, o buldogue francês quase desapareceu por não apresentar nenhuma característica de ataque e defesa. Estes cães são dóceis, amáveis e totalmente inofensivos.

racas-de-caes-que-mordem-menos-10

A raça começou a se desenvolver no século 19, quando alguns comerciantes franceses encontraram pequenos buldogues ingleses, mirrados demais para serem usados nos combates, que eram simplesmente descartados.

Levados para o continente, os pequenos buldogues logo encantaram a nobreza francesa. Eles não são fortes e resistentes, mas são atentos a tudo que se passa em torno. O buldogue francês gosta de brincar e passear, mas a atividade preferida é apenas ficar ao lado dos tutores, sem nada para fazer.

Este cachorro é conhecido por ser amável, sensível, carinhoso e gentil. O buldogue francês não gosta de estranhos, mas é a bondade em pessoa com os membros da família. Eles também gostam da companhia de gatos e de outros cães.

Mas o buldogue francês não pode ser considerado um animal pacato. Os cães da raça se mostram bastante corajosos e precisam ser ensinados que brinquedos – e principalmente as mãos dos tutores – não são inimigos a serem vencidos. O adestramento deve ter início logo que o filhote chega à casa.

A pelagem curta e sedosa não exige muitos cuidados. Uma escovação semanal, apenas para retirar os pelos mortos, e banhos a cada cinco ou seis semanas são suficientes para garantir a boa aparência dos cães da raça. Um cuidado maior deve ser dedicado às dobras da pele, que precisam ser higienizadas com mais frequência.

12. Sheepdog

O nome completo da raça é “old english sheepdog”, o velho cão pastor inglês. É um animal imenso e peludo, que pastoreou rebanhos de ovelhas durante séculos, nas ilhas britânicas, protegendo-as inclusive contra o ataque de ursos e lobos.

racas-de-caes-que-mordem-menos-11

Mas, se esse antigo pastor, fruto do cruzamento de diversas raças europeias, era um cão valente e destemido, o sheepdog atual manteve apenas o porte dos cães violentos e agressivos: um macho pode atingir 61 cm de altura (na cernelha).

O sheepdog é manso, estável, equilibrado, dócil, gentil (apesar do tamanho), amigável e amoroso. Ele é extremamente devotado à família e precisa de interação quase constante: deixado sozinho por longos períodos, pode desenvolver ansiedade e depressão.

É um cão apaixonado por crianças. O sheepdog é um animal territorialista e busca proteger o ambiente familiar, mas raramente mostra agressividade. Ele é basicamente um animal de companhia, não se destacando como um cão atlético. Mesmo assim, alguns exemplares chegam a competir em provas de agilidade, obediência e conformação.

Os tutores precisam estar prontos para ter muito trabalho: a pelagem dura, densa e profusa do sheepdog precisa ser escovada a cada dois dias, para garantir a boa aparência. Além da questão estética, se os pelos ficarem embaraçados, eles se tornarão o ambiente perfeito para os parasitas.

Os cães da raça precisam de espaço, apesar de os adultos passarem boa parte do dia descansando e cochilando. O sheepdog gosta de brincadeiras intensas, como corridas, caminhadas com obstáculos e busca de objetos. É um animal dócil e imponente, que conquista todos com facilidade.

Gostou? Siga o Cães Online no Facebook, Instagram e Google News