Como ensinar o cachorro a não subir no sofá

Em algumas casas, esta área é proibida. Veja como ensinar o cachorro a não subir no sofá.

Desde filhotes, os cachorros precisam aprender a respeitar as regras da casa, que variam de família para família. Uma delas é o acesso a sofás e poltronas, permitido em alguns lares, proibido em outras. Para nossa sorte, os cachorros são inteligentes e, com alguns comandos, é possível ensiná-los a não subir nos móveis.

É preciso deixar claro: os cachorros não são “mais obedientes” porque não sobem no sofá, nem “mais indolentes” porque estão sempre aconchegados sobre os móveis da sala – ou de qualquer outro ambiente. Tudo se resume aos hábitos familiares.

Como ensinar o cachorro a não subir no sofá

“Não subir no sofá” faz mais sentido quando os cachorros passam a maior parte do tempo em ambientes externos, como o quintal ou o jardim e, ao serem admitidos na sala ou nos quartos, podem carregar sujeira para os móveis.

Para os cachorros que vivem em apartamentos, no entanto, a regra pode parecer muito arbitrária. Mesmo assim, com boas doses de paciência, os tutores conseguem ensiná-lo a não subir em determinados momentos – a volta para casa depois de um passeio ou após o banho, quando os pelos estão úmidos.

As regras do jogo

O importante, em qualquer situação, é que as regras devem ser claras. Fica difícil (mas não impossível) para os cachorros compreenderem que podem subir em alguns móveis, mas não em outros. Para eles, o mais complicado é entender que podem subir em algumas ocasiões, mas não em outras.

Os cachorros precisam de estabilidade. Eles aprendem facilmente a respeitar a “legislação doméstica”, mas é preciso que todos os humanos da família falem a mesma linguagem. Do contrário, eles passam a entender que alguns membros são mais permissíveis e maleáveis, enquanto outros são mais durões.

As regras devem ser estáveis: se o cachorro não pode subir no sofá, não pode e pronto, está acabado. Não subir em um sofá (ou qualquer outro móvel) que foi limpo recentemente, é novo ou caro não faz muito sentido para os peludos.

Os tutores devem ensinar os cachorros logo que eles são adotados. É mais fácil adestrar os filhotes, mas os peludos são capazes de aprender em qualquer idade. Para começar, eles precisam entender os comandos simples, começando pelo “sim” e o “não”.

O aprendizado para não subir

A proibição de subir no sofá pode ser motivada por questões de higiene, por causa do tamanho do animal ou apenas para estabelecer limites para os pets. Um cachorro rebelde deve aprender a ser submisso aos tutores: desta forma, ele será mais equilibrado, estável e alegre.

Por que os cães sobem nos sofás? Basicamente, porque eles querem ficar junto aos tutores. Eles gostam de interagir com os humanos da família e ver o melhor amigo em um sofá ou uma cadeira é quase um convite para que eles também se acomodem.

Como ensinar o cachorro a não subir no sofá

Os cachorros são animais gregários e, na natureza, têm o hábito de fazer as tarefas cotidianas em grupo. Felizmente, as regras da matilha também estabelecem uma hierarquia rígida: há milênios, os cães se organizam entre os líderes e os subordinados.

Em casa, os peludos assimilam rapidamente quem é o “alfa da matilha”: o tutor. É ele quem garante o alimento, a segurança, o agasalho, quem define os horários de dormir e acordar, brincar e trabalhar. A estabilidade na rotina é muito benéfica para o equilíbrio emocional dos cachorros.

Os comandos para não subir no sofá

O primeiro comando a ser ensinado para os cachorros é a “caminha”. Os tutores devem repetir a palavra e indicar o local em que os peludos devem descansar, aquecer-se, aconchegar-se ou apenas passar um tempinho pensando na vida.

O local precisa ser ventilado, ensolarado e higienizado com frequência. Além dos pelos e dos “tesouros” que serão enterrados na caminha – os cachorros tendem a se apropriar do espaço e guardar os seus bens entre as cobertas –, uma cama de cachorro é o local perfeito para a proliferação de ácaros, se não for limpo regularmente.

Alguns cachorros descobrem o significado do comando “caminha” logo na primeira vez que ele é pronunciado pelo tutor. Eles fazem uma associação positiva entre a palavra e o local que serve de repouso, esconderijo e “torre de vigia”: é o espaço para controlar o vaivém da família e observar qualquer coisa estranha ou fora de ordem.

Como ensinar o cachorro a não subir no sofá

Outros, mais independentes e teimosos, podem demorar um pouco para assimilar o comando e precisam ouvi-lo três ou quatro vezes. Uma vez feita a associação, contudo, eles passarão a dirigir-se à caminha sempre que ouvirem o sinal do tutor.

A palavra deve ser pronunciada em tom firme, sem necessidade de elevar a voz. Os cachorros associam os tons mais graves a ordens, advertências e orientações, enquanto os sons mais agudos se relacionam a brincadeiras, afagos, etc.

A “caminha” não pode ser associada a nenhum tipo de castigo. Quando isto ocorre, os peludos poderão tentar escapar. Ela precisa ser um lugar agradável e convidativo. O adestramento positivo consiste em relacionar a conduta que se espera do cachorro a algum tipo de prazer e recompensa.

Nas primeiras tentativas, os cachorros podem receber um prêmio sempre que atenderem ao comando “caminha” – um biscoito canino é suficiente. O mais importante é recompensar a obediência com palavras de incentivo e muito carinho. Em pouco tempo, os prêmios materiais podem ser dispensados.

Uma vez assimilado o comando “caminha”, sempre que o cachorro tentar subir no sofá, poltrona ou qualquer outro móvel, o tutor deve levá-lo para a cama, repetir a palavra e acariciá-lo por alguns momentos.

O processo é trabalhoso e pode ser mais ou menos demorado, de acordo com o temperamento do cachorro. Mas, como diz um anúncio comercial antigo, “não basta ser pai, tem que participar”.

Depois de algumas tentativas e erros, os cachorros apreendem o comando e incorporam o significado: “caminha” passar a ser encarada como a ordem para ir deitar-se, enquanto os tutores estão sentados no sofá ou ocupados com outras tarefas.

Durante o aprendizado, pode ser necessário arrastar a “caminha” pela casa, para que fique perto da família e do movimento doméstico. O comando, sempre que é dado, precisa ser acompanhado por incentivos e agrados.

Uma vez assimilado o comando, a caminha pode ser instalada definitivamente em algum cômodo da casa, para onde os cachorros irão sempre que receberem a ordem. O ideal, no entanto, é que eles fiquem próximos aos tutores: eles gostam de fazer parte do bando e, hoje em dia, a companhia é o principal motivo para a adoção dos cachorros.

Mudanças de hábitos

Alguns cachorros, no entanto, já estão acostumados a subir nos sofás e outros móveis da casa. Para eles, isto pode ser um “direito adquirido”. Nestes casos, o aprendizado pode ser um pouco mais trabalhoso.

O tutor deve impedir que o cachorro suba. É preciso que ele já saiba o significado do “sim” e do “não”. Pode ser necessário fazer uma barreira com o braço ou o corpo, demonstrando que o peludo não está autorizado a subir nos móveis.

É um pouco confuso para o cachorro entender o que se espera dele nestes casos. A situação é relativamente comum, especialmente quando os filhotes perdem a autorização (por crescerem demais) ou quando se trata de móveis novos – ou até mesmo de uma casa nova.

Seja como for, é necessário insistir. Trata-se de uma regra nova e os cachorros precisam de um tempo para entendê-la e assimilá-la. O aprendizado segue da mesma maneira, com o comportamento esperado sendo recompensado com prêmios materiais, palavras de incentivo e afagos.

Para os mais insistentes, os tutores podem usar algumas ferramentas auxiliares. A maioria dos cachorros não gosta de sons muito estridentes e instantâneos. Podem ser realizadas algumas experiências com guizos, apitos ou um chocalho feito com uma lata cheia de pedrinhas.

O importante é que o barulho seja incômodo ou irritante para o cachorro. Sempre que ele tentar subir no sofá, o tutor precisa acionar a “arma secreta”. Em poucas tentativas, o peludo desistirá, para não ter de ouvir o ruído.

O clicker, um aparelho sonoro inaudível para humanos mas bastante perceptível para os cachorros, também pode ser usado. Em geral, o equipamento é usado para adestramentos mais complexos, mas os tutores interessados em conviver com cães obedientes podem pensar seriamente na possibilidade de adquiri-lo.

É importante revezar os comandos “não”, “fora”, etc. com o apito ou chocalho. À medida que o cachorro se sentir desmotivado a subir nos móveis, os comandos devem ser mais empregados, com a redução gradual dos ruídos.

Esta forma de adestramento parece prodigiosa, mas não há nenhuma mágica envolvida: o cachorro simplesmente percebe que, ao obedecer aos comandos, ele tem direito a uma cama confortável, prêmios, carinhos e atenção do tutor; do contrário, recebe ruídos irritantes. A escolha é muito fácil.

O treinamento dos comandos simples é uma tarefa fácil, bastando que os tutores se armem de persistência e paciência: afinal, uma coisa nova está sendo ensinada e ela não pode ser absorvida da noite para o dia.

Os segredos do sucesso são os seguintes:

  • as regras devem ser claras;
  • todos os humanos da família devem estar empenhados no ensino-aprendizado;
  • não pode haver exceções: se um cachorro não pode subir no sofá, não há momentos em que isto é permitido.

Receba notícias e histórias do Cães Online no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/caesonline.

Postagens Relacionadas