Tapete higiênico para cães: prós e contras

O tapete higiênico é absorvente e reduz o mau cheiro. Conheça os prós e contras do uso do produto.

Um produto doméstico que facilita a limpeza: o tapete higiênico. Ele substitui o papel-jornal com muitas vantagens. Absorve melhor a urina, atenua o mau cheiro dos excrementos de cães e gatos e permite que a área de serviço ou o quintal fique limpo e com menos odores. O preço médio dos tapetes higiênicos descartáveis é de R$ 50 (pacote com 30 unidades).

Abrindo um parêntesis: nunca use jornal para as necessidades dos seus pets. A tinta de impressão é tóxica e pode penetrar na pele, caso haja ferimentos (mesmo provocados por coçadelas) e nas mucosas (ânus, genitais, narinas, boca, etc.), facilitando o desenvolvimento de diversas doenças.

Os prós do tapete higiênico para cães

O tapete higiênico para cães é fabricado com o mesmo material usado em fraldas descartáveis: um gel absorvente que elimina rapidamente os líquidos. O produto é descartável, vendido em embalagens com até 30 unidades. É uma excelente solução para quem vive em apartamentos e casas pequenas.

Alguns tapetes higiênicos são produzidos com substâncias que atraem os cães e estimulam a micção; eles se acostumam rapidamente a usar o tapete como sanitário, sem necessidade de grandes técnicas de treinamento.

Também existem produtos que desestimulam os cães a urinar em determinados locais da casa. Eles são formulados com substâncias cujo cheiro obriga os peludos a procurarem outro canto (alguns são formulados com feromônios – assim, fêmeas ficam longe dos cheiros femininos e machos, dos masculinos). É uma boa opção durante a fase de treinamento.

Tapete higiênico para cães: prós e contras

Também existem disponíveis no mercado os tapetes higiênicos reaproveitáveis. Eles podem ser lavados regularmente e apresentam a vantagem de reter os odores característicos dos pets, facilitando a adaptação ao uso. A desvantagem é que estes produtos precisam ser lavados com frequência: no máximo, a cada três dias, no caso de cães de pequeno porte.

Por outro lado, os tapetes laváveis são mais bem aceitos por cães adultos, justamente porque ficam com o “cheirinho característico”. Existem caixas para acoplar os tapetes, o que facilita o manuseio. Provavelmente, o pet se acostumará a fazer também as fezes no mesmo local – e a caixa permite higienização mais rápida e confortável para os tutores. Outros produtos simulam grama, para facilitar a adaptação de cães acostumados a fazerem as necessidades em canteiros.

Os contras do tapete higiênico para cachorros

Nem todos os cães irão se acostumar ao tapete higiênico de forma imediata. Alguns inclusive resistirão a fazer as necessidades nele. Produtos novos, sem o cheiro característico, muitas vezes não são atraentes para os pets.

Uma boa opção é recolher um pouco do xixi e despejar sobre o tapete higiênico. Na próxima vez em que urinar, o peludo provavelmente irá se dirigir a um local que esteja impregnado com o odor. Lembre-se: para eles, os odores naturais não são fedidos – são “exatamente” naturais.

Outra questão importante: o tapete higiênico é uma opção para os cães fazerem xixi em situações de emergência. Eles podem estar doentes, ou eventualmente os tutores não podem sair para passear – nestas situações, o tapete higiênico é uma estratégia válida.

Mas o produto não pode nem deve substituir as caminhadas diárias. Elas são importantes não apenas para os cães fazerem xixi e cocô fora de casa e não sujar os ambientes domésticos. Os passeios permitem que os pets encontrem outros cães e se sociabilizem com eles. Isto reduz os instintos territorialistas e agressivos, por exemplo.

Dicas para a adaptação

O tapete higiênico é uma opção para o cachorro fazer as suas necessidades em casa e é útil para os tutores, que não precisam dispor de um arsenal de produtos de limpeza para higienizar os “banheiros improvisados”, e também para os próprios pets, que podem fazer xixi e cocô em um ambiente limpo e sem muitos odores.

Escolha um local adequado. Os cachorros são animais de hábitos arraigados; por isso, é importante que o tapete higiênico seja incorporado à rotina. Procure um cantinho ventilado e tranquilo – ninguém gosta de fazer as necessidades no meio do movimento. Não se esqueça de garantir o acesso: não adianta colocar o tapete na cozinha e deixar a porta fechada.

Separe a comida do tapete. A maior parte dos imóveis residenciais possui cozinhas e banheiros próximos. Isto, no entanto, é devido à economia na parte hidráulica do projeto (que, se for bom, terá apenas paredes compartilhadas, mas espaços bem separados). Nunca deixe o tapete perto da ração e da água.

Tapete higiênico para cães: prós e contras

Escolha bem o produto. Os tapetes higiênicos descartáveis são mais práticos: basta colocá-los no piso (muitos produtos vêm com uma fita adesiva para aderir ao chão) e, quando estiverem “servidos”, enrolá-los e jogá-los no lixo. Eles são uma excelente opção para os filhotes, que estão aprendendo as regras da casa. Para os adultos, o ideal é comprar tapetes higiênicos laváveis, porque estes produtos, com o passar do tempo, ficam impregnados com o cheiro individual e isto facilita o uso. Se você tiver mais de um cachorro, use um tapete para cada um deles.

O treinamento. Cachorros aprendem rápido. Uma forma simples de ensinar o pet a usar o tapete higiênico é levá-lo depois das refeições e passar um tempinho com ele. As recompensas são bem-vindas: ofereça um brinde todas as vezes em que o cão “acertar” o lugar de fazer xixi. Pode ser um biscoito canino. Com o tempo (uma semana ou duas), a recompensa deixa de ser necessária.

A posição. É preciso posicionar o tapete higiênico de acordo com o sexo. Para as fêmeas e os machos que fazem xixi em pé, o produto pode ser colocado diretamente no chão. Para os machos que levantam a pata na hora de urinar, parte do tapete higiênico deve cobrir a parede, para evitar os respingos que fatalmente sujarão os azulejos.

Ter ou não ter um cachorro

Os passeios também são uma forma importante de reforçar os elos entre os tutores e os cães. Adotar um pet deve ser uma atitude muito bem ponderada. Eles têm necessidades e desejos – e um deles é justamente passear na rua diariamente com o tutor. Quem não tem tempo disponível para esta tarefa deve pensar em adotar um gato, que é mais caseiro.

Ou talvez um hamster, ou um peixinho de aquário. De qualquer forma, é preciso ter em mente que qualquer animal de estimação dá trabalho. O gato “exige” que a caixa de areia seja limpa constantemente e é provável que deixe as marcas em sofás, cortinas e almofadas.

Hamsters são animais extremamente limpos e precisam de um viveiro muito bem organizado – eles próprios determinam os locais para dormir, comer, exercitar-se, depositar os dejetos, etc. Um aquário demanda uma série de providências, como controlar o pH da água, garantir iluminação e ventilação para os peixes e plantas, troca periódica de parte da água, etc.

Antes de levar um animal de estimação, é necessário refletir. Pense seriamente: eu quero realmente ter este compromisso diário, que se estenderá por dez ou 15 anos? Além disso, pets dão despesas: ração, brinquedos, roupas, consultas com o veterinário, produtos de higiene, etc.

Quem não tem esta disponibilidade, deve renunciar a ter um pet em casa, por mais prazerosa que seja esta companhia. Se não há tempo para cuidar e brincar, ou se o cão não cabe no orçamento, talvez a melhor escolha seja um bicho de pelúcia. Mas, não se esqueça: estes brinquedos acumulam muitos ácaros, também precisam ser higienizados regularmente.

Postagens Relacionadas