Pet sitter – O que faz? Como ser?

Por: em

Descubra o que faz e como você pode se tornar um pet sitter.

A expressão “pet sitter” derivou-se do termo “baby sitter”, que em inglês significa pajem, babá de crianças. Portanto, é fácil compreender o que faz um pet sitter: ele cuida principalmente de cães e gatos (mas eventualmente de outros pets, como furões), quando os tutores estão ocupados com outras tarefas e não têm tempo suficiente para a educação e a diversão dos animais.

Esta profissão já é relativamente antiga nos EUA e em alguns países da Europa. No Brasil, com a crescente preocupação com a qualidade de vida e o bem-estar dos animais de estimação, o pet sitter está se tornando cada vez mais popular.

É um trabalho ideal para quem gosta de animais e está precisando de uma ocupação para gerar renda. A atividade é cansativa, exige atenção e responsabilidade, mas também proporciona muita satisfação e realização pessoal aos pet sitters.

Pet sitter

Existem alguns cursos, inclusive online, que ensinam o dia a dia de um pet sitter. A profissão, no entanto, está longe de ser regulamentada. Por isso, com alguma habilidade e muita disposição, é possível exercer o ofício.

O que faz um pet sitter?

A maior parte das atividades do trabalho é realizada na casa do tutor do animal de estimação. O pet sitter substitui o tutor nos cuidados com cães e gatos, quando este está ocupado no trabalho, nos estudos, etc. Eventualmente, o profissional pode se responsabilizar pelo pet durante viagens e isso requer disponibilidade de tempo.

Em algumas situações especiais, o pet sitter pode abrigar o animal de estimação na própria casa, responsabilizando-se pela alimentação, atividade física (passeios e brincadeiras), descanso e eventualmente por ministrar medicamentos e realizar atividades terapêuticas.

Um bom pet sitter, portanto, além de gostar muito de animais, não pode ter medo de higienizar vasilhas de água e comida, recolher as fezes, lavar pisos com urina, limpar a caixa de areia dos gatos, fazer algumas compras básicas, etc.

O profissional também deve seguir sempre as diretrizes dos tutores e manter as regras da casa com relação aos espaços em que o pet pode circular, o número de refeições e a quantidade de ração em cada uma delas, etc.

As atividades do pet sitter incluem:

  • alimentação;
  • passeios;
  • brincadeiras e treinamentos;
  • cuidados básicos com a aparência.

Eventualmente, um pet sitter pode ser convocado a aparar unhas, inspecionar patas, orelhas e focinhos, ministrar medicamentos tópicos e orais, trocar curativos, etc. Esta é uma profissão que exige capacitação inicial e, quanto maior o empenho na qualificação, mais amplas são as possibilidades de trabalho.

Para se iniciar nesta profissão, um pet sitter pode se inscrever em sites especializados em animais de estimação (Petz, Petlove, etc.), deixar os dados de contato e aguardar o contato dos tutores. Os pet sitters mais requisitados são os que oferecem maior diversificação de serviços.

Em casa

Muitos tutores precisam viajar e não gostam, por qualquer motivo, de deixar os cães e gatos em hotéis. Nestas ocasiões, também entra em cena o pet sitter, que pode visitar ao patudos diariamente, instalar-se provisoriamente na residência ou, mais comumente, hospedá-los em casa.

A diferença de hospedagem é que os cães e gatos permanecem em um ambiente familiar, sem ter de dividir o espaço e a atenção com outros animais de estimação, quase sempre contados às dezenas. É um trabalho personalizado e, por isso, mais bem remunerado.

Na casa dos tutores, o pet sitter pode ser o principal responsável por levar o animal de estimação para passear, escovar a pelagem e os dentes, dar banho, acompanhar nas sessões de banho e tosa e até mesmo nas consultas com o veterinário.

É importante registrar todas as atividades, uma vez que tutores zelosos e responsáveis costumam exigir relatórios sobre como foi o dia do pet. Para acompanhar um pet ao veterinário, o pet sitter precisa estar familiarizado com o pet, conhecer eventuais sintomas apresentados, etc.

Especializações do Pet sitter

O trabalho do pet sitter pode ser especializado. Alguns profissionais apenas passeiam com os cachorros – são os dog walkers. Outros acompanham animais em recuperação de doenças e traumas e, nesse caso, é importante ter alguma formação em enfermagem veterinária, mesmo que seja um curso livre.

Alguns pet sitters acompanham cachorros em atividades esportivas, como o agility, freestyle, game dog, etc. É preciso ter boa disposição física e conhecimentos básicos do esporte. Para acompanhar pets em competições, é necessário possuir conhecimentos sólidos na área.

Vantagens para os tutores

A profissão surgiu com a conscientização de que os pets precisam receber tratamento adequado. Um tutor ocupado demais pode não ter tempo (ou disposição) para passear todos os dias, brincar e oferecer os cuidados básicos.

Os cães, por exemplo, são animais extremamente sociáveis. O passeio não é apenas uma distração, mas uma oportunidade de socialização, em que os animais aprendem a conviver com estranhos e respeitá-los. Quem não dispõe de tempo, precisa contratar um pet sitter – ou adotar um bicho de pelúcia.

Contratar um pet sitter significa dividir a responsabilidade da criação de um pet, sem ter de abrir mão do prazer de ter um gato ou um cãozinho simplesmente por falta de tempo. O pet sitter ajuda a alimentar, entreter e cuidar dos animais de estimação.

Quem tem um gato de companhia também pode se beneficiar com um pet sitter. Os felinos são desconfiados, avessos a pessoas estranhas. Contar com um profissional que cuide deles – e até os receba em casa no caso de uma eventualidade – é a certeza de que eles não ficarão estressados e terão o melhor atendimento.

Procure sempre profissionais capacitados para acompanhar o seu animal de estimação. Certifique-se da idoneidade antes de franquear o acesso à sua casa. Principalmente, observe o comportamento do pet sitter no contato com os animais, que deve ser amoroso, mas exigente e responsável.

Alguns sites especializados classificam os profissionais de acordo com a experiência e as qualificações que os pet sitters apresentam. A ideia é ter tranquilidade para desenvolver as atividades enquanto tem plena certeza de que uma pessoa competente e qualificada está cuidando dos nossos pets.