Certamente, seu cachorro ama você. Mas, de qualquer forma, fique atento a estes sinais.

Algumas pessoas acreditam que o relacionamento entre humanos e cachorros é baseado em interesse puro. Afinal, os nossos pets recebem alimento, segurança, conforto e, na maioria dos lares, muito afeto e mordomias.

Mas os tutores que ainda têm dúvidas podem ficar tranquilos: é totalmente verdadeiro o fato de que o seu cachorro ama você. Ele emite sinais contínuos desse sentimento, além de demonstrar lealdade e fidelidade à toda prova. Os pets gostam de nos agradar, mesmo quando não estão esperando nada em troca.

Sinais de que seu cachorro ama você

Os sinais de que seu cachorro te ama

Cachorros e humanos pertencem a espécies diferentes e, mesmo com uma convivência milenar, os nossos peludos possuem maneiras peculiares de demonstrar o amor que sentem pelos tutores. Afinal das contas, eles não sabem falar o nosso idioma e a linguagem corporal é diferente.

Preste atenção aos sinais que o seu cachorro emite. Eles são demonstrações de que o seu pet ama você, independente do petisco, da brincadeira ou do cafuné.

Leia também: Como dizer “eu te amo” para o seu cachorro

1 – Olhos nos olhos

Quando estão interagindo com os tutores, os cachorros olham fixamente nos olhos. É muito raro que outros animais – inclusive os lobos, ancestrais dos nossos peludos – olhem fundo nos olhos; em geral, os animais tendem a desviar o olhar, porque não confiam no “interlocutor”.

Os cachorros, por outro lado, fazem isso o tempo todo, sem nenhum tipo de treinamento prévio. O olhar meigo e dócil já bastaria para mostrar que ele ama você, mas um estudo realizado no Japão, e 2015, explica cientificamente o que acontece.

Ao olhar nos olhos, o sistema nervoso do cachorro aumenta a produção de ocitocina, substância conhecida como o “hormônio do amor”. É a mesma substância que estimula a lactação logo depois do parto.

A ocitocina é útil para estabelecer e fortalecer os vínculos familiares. Ela provoca sensações de bem-estar e tranquilidade. O hormônio também é produzido quando os pets ouvem a voz ou veem imagens dos tutores, mas em menor quantidade.

2 – Cheirinho bom

Os cachorros gostam do cheiro dos tutores. Isto não significa que você está negligenciando a higiene pessoal: o olfato dos cães é muito apurado. Eles possuem 25 vezes mais receptores olfativos do que os humanos e são capazes de detectar, por exemplo, uma única gota de sangue diluída em cinco litros de água.

Estudo de pesquisadores da Universidade de Utrecht (Países Baixos), publicado em 2015 na revista holandesa “Behavioural Processes”, concluíram que os cães associam o cheiro do tutor a sensações de prazer. Ressonâncias magnéticas comprovaram que áreas do cérebro relacionadas ao mecanismo de recompensa são ativadas quando os peludos sentem o cheiro, o que não ocorre com outros odores.

Recomenda-se aos tutores que passam muito tempo fora de casa que deixem à disposição dos peludos uma peça de roupa (não pode ser nova, mas precisa ser usada), para que eles fiquem mais confortáveis quando estão sozinhos. O “cheiro do dono” tranquiliza os pets.

3 – “Encosta sua cabecinha…

no meu ombro e chora”. O compositor Paulo Borges falava da solidão dos amores não correspondidos, mas conseguiu descrever os sentimentos dos cachorros. Mais do que ninguém, eles sabem muito bem quando estamos tristes. Eles entendem a nossa linguagem corporal e permanecem ao lado, para o que der e vier, enquanto perceberem que não estamos nos nossos melhores dias.

Alguns estudos indicam que os cães conseguiram desenvolver empatia, a capacidade de se colocar no lugar do outro. Quando estamos tristes, mesmo os mais ativos e travessos pets ficam quietos, apenas oferecendo um “ombro amigo”, sem brincadeiras e muitas vezes sem nenhum gesto de carinho. Esta é talvez a maior prova de que os cachorros nos amam.

4 – Sua companhia

Quando sentem medo ou se sentem acuados por algum motivo, os cachorros procuram instintivamente a companhia dos tutores. Ao lado da família humana, eles se sentem protegidos e seguros. Os pequenos pedem colo, enquanto os grandões se contentam a ficar ao pé do tutor.

Em situações semelhantes, cavalos e gatos assustados tendem a fugir. Os cachorros aprenderam, com o passar do tempo, que o local mais seguro é junto aos tutores. Isto não significa que eles não corram para se ocultar ao ouvir um trovão ou deparar-se com um estranho (situações extremas de estresse), mas o local do esconderijo é escolhido sempre com vista para a família.

5 – Dormindo de conchinha

Os cachorros adoram dormir com os tutores e, em muitos lares, a permissão para subir na cama é sempre franqueada. Eles gostam particularmente de dormir encostados, como se quisessem sentir o corpo do parceiro.

Esta atitude já foi interpretada como comportamento possessivo: eles se encostariam para demonstrar que são “donos” dos tutores. Atualmente, no entanto, a maioria dos etólogos concorda em que dormir ao lado (ou em cima, no caso dos pequenos) é uma forma de demonstrar afeto.

Afinal, o local escolhido é quentinho e confortável (pelo menos na opinião dos cães). A posição evoca o tempo de recém-nascidos, em que os filhotes se empilhavam para dormir, mantendo o corpo aquecido. Muitos consideram anti-higiênico, mas dormir com o cachorro fortalece os vínculos.

6 – O apoio

Não importam as condições. Em qualquer situação, se eles conseguirem, nossos cachorros certamente apoiarão a cabeça ou o corpo inteiro em nós. Durante os passeios, eles esperam o sinal de trânsito abrir apoiados em nossas pernas; no sofá, enquanto assistimos à TV, eles se encostam no nosso quadril e até usam nossas coxas como almofadas.

Eles podem ter camas confortáveis, cantos preferidos na sala, bichos de pelúcia para se apoiar, mas, se o tutor estiver por perto, eles sempre darão preferência a encostar no “amor da vida”. Esta é também uma prova de confiança irrestrita.

7 – Hora de dormir

O bocejo é contagioso. Quando pessoas com laços estreitos de amizade, especialmente as que vivem juntas, começam a bocejar, parece que há uma epidemia de bocejos. Aliás, ainda não se descobriu o motivo real do bocejo – talvez seja apenas um ato solidário.

Os cachorros também bocejam quando nos veem bocejar. O ato se repete quando eles estão se sentindo estressados: por exemplo, em uma visita ao veterinário, durante uma briga em família ou ao levarem uma bronca.

Acredita-se que o bocejo seja uma forma de resposta não violenta. Os cachorros bocejam conosco para “pacificar o ambiente”. Por isso, quando a situação começar a ficar tensa sem motivos concretos, capriche nos bocejos: o seu cachorro repetirá o gesto e ficará mais tranquilo.

8 – Elementar

O seu cachorro franze a testa e levanta as sobrancelhas quando olha para você? Fique tranquilo, ele não descobriu nenhum segredo inconfessável, como fariam os detetives dos livros e filmes. A expressão fisionômica significa uma espécie de reconhecimento.

Ao nos verem depois de um longo dia distante, os cachorros nos reconhecem e expressam alegria com o reencontro. A sobrancelha levantada é uma expressão aprendida conosco: eles nos observam tanto que descobriram uma forma “humana” de demonstrar afeto e contentamento.

9 – A sombra

Mesmo quando estamos ocupados com as tarefas domésticas, os cachorros parecem não dar folga: eles nos seguem pela casa inteira. Se os nossos passos são lentos, eles praticamente encostam o focinho na nossa panturrilha.

Eles não ficam muito tempo sozinhos. Se nos levantamos do sofá para ir ao banheiro, lá estão nossos fiéis seguidores. Quando vamos à cozinha buscar um lanche, mais do que a esperança de ganhar algum petisco, eles vão atrás para continuar desfrutando da nossa companhia.

E, quando alguém em casa está acamado, não há quem tire o peludo da cama (ou do tapete ao lado). Como se tivessem se comprometido a nos amar “na saúde e na doença”, os cachorros permanecem com o doente até que ele consiga se levantar e cuidar da vida. É um cuidado de que só quem ama é capaz.

10 – A festa

A maneira mais fácil e eficaz para um cachorro demonstrar amor é sem dúvida abanando o rabo. A cauda se transforma em uma bandeira tremulante, com movimentos que não param nunca, sempre que eles nos veem.

Não importa quanto tempo durou a separação: em uma saída rápida para o mercadinho da esquina ou em uma viagem de 15 dias, os cachorros sempre recebem os tutores com euforia, fazendo muita festa. É como se eles não parassem de dizer: “que bom te ver de novo, que bom que você está de volta”.

Não deixe a festa diária se transformar em mera rotina. O seu cachorro está fazendo o melhor possível para recebê-lo. Retribua com carinho este gesto de amor.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui