InícioCuriosidadesCachorro faz entregas em domicílio para facilitar o distanciamento social

Cachorro faz entregas em domicílio para facilitar o distanciamento social

Este cachorro, que faz entregas em domicílio em Medelín, já foi até assaltado.

Eros é um cachorro da raça retriever do Labrador que vive em Medelín, no interior da Colômbia, e mostrou-se um trabalhador essencial em tempos de pandemia: ele faz entregas em domicílio e facilita o distanciamento social. Eros já foi inclusive assaltado, o que gerou revolta na população.

O cachorro é um dos colaboradores do Mercado El Porvenir. Ele faz entrega de artigos básicos, como alimentos e produtos de higiene, que carrega em uma cesta de palha pelas ladeiras da cidade montanhosa – Medelín fica na cordilheira dos Andes, a mais de 1.500 metros de altitude.

Apesar de ser extremamente improvável, já que a cesta vai balançando na boca do cachorro, os clientes afirmam que os produtos chegam íntegros e em segurança. Eros nunca aproveita os pedidos para fazer “uma boquinha” no trajeto.

O trabalho de Eros

Quase todos os moradores de Medelín conhecem o retriever do Labrador chocolate que percorre diariamente as ruas da cidade, especialmente no bairro Robledo Tulipanes. Ele faz diversas entregas todos os dias.

Como remuneração, Eros recebe petiscos e carinho. Às vezes, o peludo se distrai pelo caminho, mas nunca recebeu reclamações sobre extravios ou demoras muito longas. Ele faz as caminhadas no ritmo próprio – mas isso acaba sendo mais um atrativo para os clientes.

Robledo Tulipanes é uma “urbanización”, nome dado a novos distritos construídos na cidade, de acordo com a política de ampliação da habitação popular. O bairro funciona como uma pequena cidade, em meio à grande Metrópole de Medelín (na região metropolitana, a cidade abriga mais de 3,7 milhões de pessoas).

De acordo com Maria Natividad Botero, tutora de Eros, o cachorro ajuda a manter as medidas de segurança e reduzir o contágio pelo novo coronavírus. A melhor parte é que os clientes adoram o entregador, que faz toda a diferença no serviço.

Eros tem oito anos e foi adotado já idoso, depois que Natividad cedeu aos desejos da família – não sem ter imposto uma série de exigências para manter o cachorro em casa. Ela nunca poderia imaginar que o cachorro se tornaria um “parceiro nos negócios”.

O cachorro evidentemente não sabe ler endereços. Mas Eros conseguiu memorizar os nomes e localizações de diversos fregueses do El Porvenir (“o futuro”, em espanhol). Com um pouco de treinamento, ele aprendeu a ir a diversas casas, a partir dos comandos de Natividad.

De acordo com a tutora, ele conhece o nome de cinco ou seis clientes do mercado. Ela envia os produtos solicitados por telefone em uma cesta, que Eros carrega pela alça, e os fregueses pagam a conta através de transferências bancárias. Além da boa vontade do peludo, Natividad conta também com a honestidade dos clientes.

Nos quatro primeiros meses da pandemia, a covid-19 provocou a morte de mais de sete mil colombianos. Grandes municípios, como a capital Bogotá e Medelín, a segunda maior cidade do país, concentraram elevado número de casos e tiveram de se submeter a lockdowns e restrições severas.

As medidas estão dando certo – atualmente, a Colômbia é, proporcionalmente à população, o segundo país com menos casos e óbitos provocados pela pandemia. Mesmo assim, o país segue com restrições.

Em alguns momentos mais difíceis, até mesmo as compras de itens básicos foram submetidas a um rodízio: havia dias determinados para as idas a supermercados e drogarias, de acordo com o final dos documentos de identidade.

Eros está contribuindo para evitar que as pessoas saiam às ruas, fazendo as entregas com rapidez e eficiência. Enquanto isso, o retriever do Labrador chocolate se diverte passeando pelas ruas quase desertas de Medelín. A cada entrega, ele recebe o salário, a que todo trabalhador tem direito.

Um assalto

Nem tudo são flores, no entanto. Há cerca de um ano, Eros foi assaltado enquanto se dirigia à casa de um dos fregueses do El Porvenir. Além de ter as mercadorias roubadas, o cachorro foi agredido pelos ladrões, fato que causou muita revolta em Medelín.

No momento da agressão, Eros carregava apenas um pacote de maços de cigarros na cesta de palha. Curiosamente, os ladrões levaram a cesta e deixaram os cigarros ao lado do cachorro agredido. Provavelmente, foi mais um vandalismo do que um roubo propriamente dito.

O caso foi objeto de notícias em jornais e revistas. Eros se tornou uma celebridade momentânea, principalmente porque estava fazendo o seu trabalho quando foi atacado. O cachorro idoso já é grisalho, o que aumenta a sensação de revolta pelo assalto.

Amaury Almeida Costa
Amaury de Almeida Costa ([email protected]) é redator publicitário há mais de 30 anos. Escreve para diversos blogs desde 2008. Presente nas redes sociais desde a época do Orkut, foi editor da revista Animanews, sucesso editorial do final dos anos 1990, que trazia informações sobre pets – além de cães, gatos e aves, trazia informações sobre répteis, anfíbios, peixes e invertebrados de estimação.
RELACIONADOS

Últimas Publicações