Cachorro pode comer morango?

Verduras e frutas, como o morango, são bons complementos para a dieta dos cachorros.

Cachorro pode comer morango? O morango já foi muito aguardado durante o ano inteiro. Típica dos meses mais frios, a fruta foi se adaptando e hoje ela pode ser encontrada de janeiro a dezembro. Para os tutores, fica a dúvida: cachorro pode comer morango? Não faz mal para os peludos?

A resposta é positiva. Com moderação, o morango pode ser oferecido para os cachorros. A fruta é muito atraente para os sentidos: ela é cheirosa, tem uma textura interessante e sabores que vão do doce ao azedo, quase sempre despertando a curiosidade dos nossos melhores amigos.

Vale lembrar que os cães que recebem rações balanceadas não precisam de nenhum suplemento alimentar, a menos que tenham necessidades específicas, que precisam ser identificadas por um especialista.

Cachorro pode comer morango?

Como oferecer e consumir morango

O morango, assim como outras frutas, pode ser oferecido como um petisco, recompensa durante o adestramento ou um agrado em momentos especiais. Ele oferece nutrientes importantes, mas que já estão presentes na dieta regular dos cachorros.

É importante consumir com moderação. Apesar de ser uma fruta pequena, um morango pesa em média 25 gramas. Isto significa que dez frutas podem ultrapassar 10% do peso de um chihuahua, por exemplo.

A principal vantagem do morango é o alto teor de fibras, que pode ajudar a regularizar o trânsito intestinal, favorecendo a saúde tanto de cachorros que sofrem com prisão de ventre, quanto a daqueles que têm diarreias eventualmente.

O excesso, no entanto, pode ser prejudicial. O morango também é rico em açúcares, cuja absorção lenta fornece energia para os peludos. O exagero, no entanto, favorece o ganho de peso. Os cães mais gordinhos e também os que não têm muitas atividades físicas diárias não podem “encher a barriga” com morangos.

A maioria dos cães gosta de petiscos e novidades, mas costuma se enjoar quando eles são oferecidos reiteradamente. Uma boa opção é oferecer a fruta em cubos de gelo, especialmente para os peludos que resistem a beber água naturalmente.

Tanto a fruta quanto o gelo favorecem a hidratação corporal, além de despertar a curiosidade e ocupar a atenção dos cachorros por alguns momentos. Alguns peludos, no entanto, não gostam do sabor ou do cheiro e, nesses casos, não se deve insistir.

O morango deve ser encarado mais como uma brincadeira, um momento divertido entre o tutor e o cachorro. Todos se divertem, os cães gostam de partilhar alimentos com os seus humanos e isso fortalece os vínculos familiares. Os nutrientes da fruta são um bônus.

Os benefícios do morango para cachorros

O morango é uma fruta barata e fácil de encontrar. Ele pode ser usado como recompensa para o treinamento, lembrando sempre que os melhores prêmios para os cachorros são os carinhos e as palavras de incentivo dos tutores, e não a recompensa material em si.

A fruta possui poucas calorias, boa quantidade de água e de fibras. O morango é rico em vitamina C e em potássio. Os antioxidantes favorecem a renovação celular e alguns estudos sugerem que eles colaboram na prevenção do câncer e do envelhecimento precoce.

Cachorro pode comer morango?

Para os cães mais vorazes, o morango ajuda a proporcionar a sensação de saciedade e, por isso, pode ser usado para reduzir a gulodice.

O consumo ideal é in natura, mas o morango também pode ser oferecido misturado com iogurte (sempre com moderação). A maioria dos cães prefere receber a fruta inteira, que fornece diversos estímulos sensoriais (paladar, tato, olfato, etc.).

Os tutores precisam lavar e desinfetar muito bem a fruta antes de oferecê-la aos cachorros. O morango é um dos campeões em concentração de defensivos agrícolas (adubos, pesticidas, etc.). Algumas dessas substâncias são muito prejudiciais ao organismo canino – e ao nosso também.

A fruta também é rica em polifenóis (especialmente as antocianinas). Eles ajudam a equilibrar o colesterol e os triglicerídeos na corrente sanguínea. As fibras solúveis também reduzem a absorção do LDL (o “colesterol ruim”) pelo intestino.

O potássio é um elemento importante para a reconstituição muscular, uma atividade orgânica muito acelerada nos cães de grande porte e também nos mais ativos. Além disso, ele equilibra a absorção do sódio, eliminando o excesso com a urina. Desta forma, problemas com a pressão arterial podem ser prevenidos.

Os polifenóis do morango influenciam na digestão dos carboidratos, uma vez que parecem retardar a absorção da glicose pelo organismo. Além de ajudar no controle do peso corporal, eles são úteis para cães diabéticos e pré-diabéticos.

A fruta também é uma fonte importante de flavonoides. Juntamente com o cobre e a vitamina C, estas substâncias fortalecem a memória e melhoram a capacidade cognitiva, reduzindo a possibilidade de algumas demências comuns aos cães idosos (com sete anos ou mais).

A zeaxantina é o carotenoide que dá a cor vermelha ao morango. Além da fruta, a substância também está presente na estrutura ocular dos cães e é fundamental para a boa visão. Ela protege contra a ação dos raios ultravioleta e previne o aparecimento de problemas nos olhos.

O cocker spaniel (inglês e americano), o schnauzer miniatura, os retrievers, o husky siberiano, os cães de pelagem clara e os braquicefálicos (de focinho amassado) são geneticamente propensos à catarata e ao glaucoma. Os tutores devem considerar a introdução do morango na dieta desses peludos.

Receba notícias e histórias do Cães Online no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/caesonline.

Postagens Relacionadas