InícioHistórias Felizes Cão cego em abrigo corre animado em direção à voz do...

[VÍDEO] Cão cego em abrigo corre animado em direção à voz do amigo que o salvou

Este cão cego sempre encontra o melhor amigo quando ouve sua voz. O homem o resgatou das ruas.

Arafa era um cão abandonado, que vivia nas ruas do Cairo, a capital do Egito. Para tornar a situação ainda mais difícil, Arafa é deficiente visual e não consegue enxergar nada ao seu redor. Mas tudo começou a melhorar quando ele foi resgatado. Agora, sempre que escuta a voz do salvador, ele corre em direção do homem que se tornou o seu melhor amigo.

Este belo cão amarelo sem raça definida foi resgatado por Ahmed Embaby, um voluntário do Furever Rescue Foster (resgate e adoção para sempre, em tradução livre). O “furever” é a junção das palavras “Forever” [para sempre] e “fur” [pele de animal].

cao-cego-corre-em-direcao-a-voz-do-melhor-amigo

O abrigo

O Furever Rescue é um centro de resgate e adoção de animais instalado no Cairo, uma das maiores cidades do mundo, com quase dez milhões de habitantes (na região metropolitana, este número é duplicado). E, como todas as grandes metrópoles, a capital egípcia também exibe milhares de gatos e cachorros abandonados nas ruas.

Arafa é um dos 500 cães que vivem atualmente no abrigo. Ele foi acolhido já sem o sentido da visão, deficiência que torna a vida na rua ainda mais difícil. Embaby fez parte da equipe de resgate e acabou se tornando uma referência para o animal.

cao-cego-corre-em-direcao-a-voz-do-melhor-amigo

O peludo raramente fica muito longe do seu melhor amigo. Embaby costuma dizer que Arafa é o seu guardião cego: “ele me cegue o dia inteiro”. Quando o homem chega ao abrigo, pela manhã, basta pronunciar o nome do cachorro, para que ele venha correndo cumprimentá-lo.

O cachorro amarelo nunca se engana na direção. Mesmo que Embaby permaneça em silêncio, Arafa usa o olfato poderoso para encontrar o benfeitor. Os cães naturalmente são excelentes rastreadores e, no caso de Arafa, o sentido se tornou ainda mais apurado, para compensar a deficiência visual.

O bom relacionamento de Arafa e seu salvador foi registrado em vídeo e publicado nas redes sociais do abrigo. Apenas no Youtube, já foram mais de 95 mil visualizações. Veja:

Embaby afirma que a lealdade do cachorro amarelo é estimulante. “É um incentivo a mais para vir trabalhar com os cães no abrigo. Arafa sempre me surpreende, apesar de a recepção ser sempre a mesma. Isso mostra que o amor de um cão é incondicional”.

Nas imagens, é possível confirmar que o cachorro não se cansa de beijar e abraçar o benfeitor, todas as vezes que Embaby o chama. Parece que Arafa sabe que foi salvo das ruas e faz questão de demonstrar a gratidão e o afeto que sente.

As condições de Arafa e dos cães de rua egípcios

O cachorro resgatado das ruas do Cairo foi avaliado pelos médicos veterinários do Furever Rescue. Infelizmente, a visão do animal não pode ser restaurada, mas a saúde física e emocional melhorou muito desde que ele foi abrigado.

Embaby faz questão de dizer que Arafa está se saindo muito bem: “Não consigo nem descrever a emoção que sinto ao ver como os nossos resgatados melhoram dia a dia. O amor deles é algo muito inspirador e a capacidade de seguir em frente na vida é inacreditável”.

Arafa está pronto para ser adotado. No entanto, ele é apenas um entre os 400 mil “baladi” (“cães de rua”, na linguagem popular do país). A estimativa é oficial, do Ministério da Agricultura egípcio, mas este número provavelmente é muito maior – de acordo com a Sociedade para a Prevenção da Crueldade contra os Animais, o Egito tem mais de 15 milhões de cachorros abandonados.

cao-cego-corre-em-direcao-a-voz-do-melhor-amigo

No Cairo, além do trânsito caótico e do lixo residencial que se acumula nas ruas, os animais abandonados são um problema de saúde pública. Entre 2014 e 2017, mais de 200 pessoas morreram em decorrência de ataques desses cães.

Não há políticas públicas de controle dessas populações. Esporadicamente, são oferecidas recompensas aos cidadãos que capturarem cachorros vadios e os entregarem às autoridades sanitárias. A população, no entanto, quase sempre prefere resolver o problema com venenos e armas de fogo.

Enquanto algumas soluções esdrúxulas são propostas – um deputado chegou a sugerir a exportação dos peludos para o Sudeste asiático (para fins alimentares) – as ONGs tentam resolver o problema.

Embaby e o Furever Rescue estão fazendo a parte deles – e Arafa e outros cães e gatos agradecem do fundo do coração. Mesmo assim, é preciso encontrar alternativas mais efetivas, para o bem dos peludos e dos humanos que vivem no país.

Amaury Almeida Costa
Amaury de Almeida Costa ([email protected]) é redator publicitário há mais de 30 anos. Escreve para diversos blogs desde 2008. Presente nas redes sociais desde a época do Orkut, foi editor da revista Animanews, sucesso editorial do final dos anos 1990, que trazia informações sobre pets – além de cães, gatos e aves, trazia informações sobre répteis, anfíbios, peixes e invertebrados de estimação.
RELACIONADOS

Últimas Publicações