Não descuide do seu melhor amigo. Veja as dicas de como tratar seu pet.

Cuidar de um bichinho de estimação não é apenas diversão. Para mantê-lo sempre disposto e saudável, você precisa levá-lo ao veterinário regularmente e também quando suspeitar que ele está com algum problema. Confira as dicas de como tratar seu pet direitinho:

Como tratar seu pet

− A primeira coisa que você deve fazer ao comprar ou adotar um filhote ou animal já adulto é levá-lo ao veterinário para verificar a saúde dele. Se você não deseja crias, pergunte os riscos de uma castração. O profissional também orientará sobre os cuidados e a tabela de vacinação;

− Pets são como crianças e não é à toa que muitas pessoas os tratam como verdadeiros filhos. Portanto, os cuidados são os mesmos. Afaste-os dos produtos de limpeza, pois eles podem intoxicar os mais curiosos. Baldes ou bacias com roupas de molho atraem filhotes brincalhões. Afaste qualquer coisa que pode ser um perigo em potencial para eles;

− Instale redes de proteção nas janelas do seu apartamento e fique mais tranquila quando seu pet for apreciar a vista;

− Confira se suas plantas e flores não causam intoxicação no seu animal de estimação;

− Providencie a vermifugação do seu pet a cada seis meses. Consulte o veterinário a respeito disso.

Mesmo cercado de todo cuidado e proteção, nem sempre é possível afastar todos os perigos do nosso melhor amigo. Leve-o ao veterinário sem demora caso ele apresente os sintomas abaixo:

− Abatimento e tristeza;

− Recusa de alimentos;

− Caminhar com a cauda para baixo e entre as patas de trás;

− No caso dos gatos, deixar de se lamber e perder o apetite;

− Falhas nos pelos, coceiras e feridas pelo corpo;

− Apresentar distúrbios como vômito e diarreia;

− Parar de fazer xixi ou cocô.

Fique atenta para a tabela de vacinação:

CÃES

− Antirrábica (A lei obriga a fazer esta vacina): previne contra raiva. Deve ser feita a partir dos quatro meses, anualmente e em dose única;

− V10: Previne contra hepatite infecciosa, parvovirose, cinomose, coronavirose, adenovírus tipo 1 e tipo 2, parainfluenza e leptospirose. É aplicada a partir dos 45 dias de vida em três doses a cada 21 dias, sendo que o reforço é anual. Quando o cão adulto nunca foi vacinado, são aplicadas duas doses a cada 21 dias;

− Parainfluenza tipo 2 e bactéria Bordetella Bronchiseptica: Previne contra gripe e tosse dos canis. O reforço é anual. São aplicadas em filhotes a partir dos 2 meses e cães adultos nunca vacinados dose única intranasal ou duas injetáveis a cada 21 dias.

− Giardíase: Previne contra o protozoário intestinal (ou giárdia), também transmissível aos humanos. Em filhotes, a partir dos dois meses de vida, são aplicadas 2 doses a cada 21 dias. O mesmo vale para adultos nunca vacinados. Faça um reforço anual.

− Leishmaniose visceral canina: esta é uma doença muito grave. Se o veterinário diagnosticar esta doença, deve ser comunicado aos órgãos sanitários. Filhotes a partir dos 4 meses de vida devem receber 3 doses a cada 21 dias. Para os animais adultos não vacinados vale o mesmo.

GATOS

− Antirrábica (obrigatória por lei): previne contra a raiva e a dose é única, aplicada a partir dos 4 meses. Faça um reforço anual;

− V4 (quádrupla felina): previne contra doenças causadas por vírus. Tanto em gatos filhotes como adultos nunca vacinados são aplicadas duas doses com intervalo de 21 dias. A dose é única e o reforço é anual;

− Leucemia viral felina (FeLV): esta é uma doença que não tem cura. A vacina é aplicada depois de constatado através de exame de sangue que o gato não tem o vírus. São feitas duas doses a cada 30 dias depois dos 2 meses de vida. Faça um reforço anual.


1 COMENTÁRIO

  1. Minha neném eh York ela eh muito grudada comigo. Chora quando ouve a minha voz, toda manhosa igual uma criança no colo. Claro! Eu sempre dou carrinho p ela, mais msm assim ela age como eu não desse atenção para ela, e ela fica triste. Eh assim msm da raça? O q eu devo fazer?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui