Câncer de mama em cadelas – Sintomas e tratamento

Juntamente com os linfomas e tumores de pele, o câncer de mama em cadelas figura no topo do ranking.

Câncer é uma doença apavorante e pode ser sinônimo de morte para os cães, que estão vivendo cada vez mais, sinal de que os criadores estão adotando uma postura mais responsável. O câncer de mama em cadelas, no entanto, pode ser tratado (e curado), se descoberto precocemente.

Ao contrário do que muita gente pensa, o câncer de mama também pode atingir cães machos (em uma percentagem muito menor). As fêmeas, especialmente as idosas, são mais suscetíveis.

ACOMPANHE CÃES ONLINE!
Inscreva-se no Canal: https://goo.gl/HU37EA
Curta no Facebook: https://www.facebook.com/caesonline/
Participe do Grupo: https://www.facebook.com/groups/caesonline/
Siga no Instagram: https://www.instagram.com/caes.online

Aparentemente, a incidência de câncer de mama é mais comum entre cadelas que não tiveram filhotes, não são castradas e as que tomam anticoncepcionais.

cancer-de-mama-cadelas-2

Muitas neoplasias afetam especificamente algumas raças caninas (por exemplo, os cânceres de pele são mais comuns em animais de pelagem curta e clara e os tumores ósseos atingem principalmente os cães de grande porte). este, no entanto, o caso do câncer de mama, que se desenvolve indistintamente entre os cães, com maior incidência entre os animais maduros e idosos.

 Os sintomas de câncer de mama

A partir dos seis anos de idade (e antes disto, se houver histórico de câncer de mama na família), as cadelas precisam ser examinadas pelo menos uma vez por semana. Os donos devem inspecionar a região abdominal em busca de caroços, inchaços nas mamas e circunvizinhança, dores ou desconforto e secreções com odor desagradável.

O surgimento de um nódulo próximo às tetas, no entanto, não é necessariamente um indicativo de tumor: ele pode ser, inclusive, apenas um nódulo de gordura, que não requer muita atenção.

As neoplasias, no entanto, requerem cuidado veterinário urgente, uma vez que elas são muito invasivas. Um câncer de mama em cadelas pode provocar metástases – e os órgãos mais afetados são o fígado, os pulmões e os rins.

Os tumores podem ser identificados como uma massa sólida ou como a presença de pequenos inchaços múltiplos, que podem dobrar de volume em apenas um mês (ao contrário dos tumores benignos, que apresentam desenvolvimento lento). Vale lembrar que a maioria das cadelas possui cinco glândulas mamárias, situadas na região do abdômen. Perda de apetite, vômitos e febre também são comuns entre as cachorras afetadas.

cancer-de-mama-cadelas-1

Os sinais clínicos, contudo, são praticamente inexistentes na fase inicial de um câncer de mama. As cadelas começam a apresentar sinais somente quando a neoplasia está em estágio avançado, quando começam a apresentar fraqueza, dores e prostração sem motivo aparente.

A melhor maneira de prevenir é a castração antes do primeiro cio, que reduz as chances do desenvolvimento de um câncer de mama em 95%, por reduzir drasticamente as alterações hormonais que ocorrem durante o ciclo menstrual.

Preferencialmente, as cadelas não devem tomar anticoncepcionais, porque o descontrole do estrógeno e da progesterona (hormônios relacionados à sexualidade, prenhez e amamentação) é a principal causa deste tipo de tumor. A castração é a medida mais indicada para as cadelas não destinadas à reprodução e evita muitos outros problemas, como invasões e brigas durante o cio, por exemplo.

Metade dos caroços nas mamas das cadelas é benigno: são tumores mamários mistos, adenomas simples e complexos, papilomas de duto e fibroadenomas. Os tumores malignos mais comuns são os adenocarcinomas tubulares, císticos e papilares, carcinomas sólidos e anaplásicos, osteossarcomas e fibrossarcomas.

O diagnóstico definitivo do câncer de mama em cadelas não é clínico. A biópsia (retirada cirúrgica e análise de uma pequena parte da massa tumorosa) é necessária na maioria dos casos, para identificar o tipo de nódulo. A radiografia, tomografia computadorizada ou ressonância magnética do tórax e abdômen e a inspeção dos gânglios linfáticos são auxiliares na confirmação da presença da enfermidade e do desenvolvimento de possíveis metástases.

O tratamento para o câncer de mama nas cadelas

A partir da avaliação médica, com informações sobre a forma, massa, metástases, etc., o veterinário pode optar pelas seguintes medidas:

  • remoção cirúrgica: é a providência mais comum, com exceção de cadelas em idade avançada. Uma cirurgia realizada precocemente apresenta 50% de possibilidades de eliminação total do problema. Em alguns casos, de acordo com a gravidade do crescimento do câncer, é necessário retirar também as tetas, os gânglios linfáticos que drenam a glândula mamária e o tecido subjacente. O período de convalescença dura até duas semanas (em mastectomias radicais);
  • quimioterapia e radioterapia: em casos de câncer de mama em cadelas, estes tratamentos não têm apresentado grande efetividade e, por isto, raramente são adotados. Com as inovações da indústria farmacêutica, no entanto, um veterinário pode optar por alguma forma de medicação. Algumas drogas para regularizar as taxas hormonais vêm sendo testadas atualmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *