InícioHistórias FelizesAdolescente faz gravatas para cães de rua para ajudá-los a serem adotados

Adolescente faz gravatas para cães de rua para ajudá-los a serem adotados

Com gravatas borboleta feitas por este adolescente de 14 anos, os cães ficam mais atraentes e elegantes, ajudando-os a encontrar um lar.

Com gravatas borboleta feitas por este adolescente de 14 anos, os cães ficam mais atraentes e elegantes, ajudando-os a encontrar um lar.

Darius Brown é um adolescente de 14 anos que cresceu na Filadélfia (Pensilvânia, nordeste dos EUA). Ele aprendeu a fazer gravatas borboleta com a irmã Dazhai, quando tinha apenas oito anos de idade.

Era apenas uma brincadeira, que se mostrou bastante útil: depois de ajudar animais atingidos por um imenso desastre natural, Darius atualmente doa as gravatinhas que confecciona para um abrigo de cães na cidade: o resgate de animais Street Tails (“rabos de rua”, em tradução livre).

adolescente-faz-gravatas-para-tornar-caes-de-rua-mais-atraentes

Um pouco sobre Darius

Adolescentes sempre estão envolvidos em tantas coisas, têm tantos assuntos para prestar atenção, que acabam não se envolvendo em projetos comunitários. Mas Darius é diferente. A mãe, Joy Brown, diz que não se surpreende, porque o rapaz está envolvido no apoio às adoções desde os nove anos.

Quando tinha dois anos, Darius foi diagnosticado com um distúrbio da fala e das habilidades motoras. A família ficou preocupada com os prejuízos que a doença poderia acarretar, mas a criança conseguiu se desenvolver superando as limitações.

Quando começou a brincar na máquina de costura, Joy ficou apreensiva, com medo de que ele pudesse se machucar, mas ele aprendeu rapidamente: começou cortando os tecidos e rapidamente assumiu a costura. Em poucos meses, ele estava ensinando alguns truques para a irmã.

adolescente-faz-gravatas-para-tornar-caes-de-rua-mais-atraentes

As gravatas

Depois que aprendeu a fazer gravatas borboleta com a irmã, Darius passou a ir à escola com os acessórios: na primeira manhã, ele apareceu com uma gravata que exibia as Tartarugas Ninja. Nem é preciso dizer que os colegas gostaram muito da novidade.

Naquele dia, Darius voltou para casa com um monte de encomendas: todos queriam usar gravatas borboleta na escola. Ele voltou à máquina de costura e deu início a uma mistura de hobby e empreendimento.

O furacão

Alguns anos depois, o adolescente encontrou uma utilidade mais nobre para as gravatas borboleta. O furacão Irma, segundo maior ciclone tropical na área do Atlântico, atravessou o oceano, causou danos em diversas ilhas do mar do Caribe e também atingiu a costa leste dos EUA (especialmente a Flórida).

O furacão matou mais de cem pessoas, desabrigou milhares e causou milhões de dólares em prejuízos materiais. Cães e gatos também foram afetados – especialmente os animais de rua de cidades como Orlando, Miami Beach e Jacksonville.

adolescente-faz-gravatas-para-tornar-caes-de-rua-mais-atraentes

Os animais abandonados precisavam encontrar famílias que os acolhessem e Darius teve uma grande ideia: ajudar os peludos a se destacarem nos abrigos lotados, tornando-os mais atraentes e divertidos.

Alguns animais foram levados para cidades mais ao norte, longe da área atingida pelos ventos e tempestades. A ASPCA (American Society for Prevention of Cruelty to Animals) de Nova York, que abrigou alguns dos cães, recebeu 25 gravatas borboleta feitas por Darius.

A doação funcionou muito melhor do que a APSCA e Darius esperavam. O adolescente afirmou ao Washington Post: “Mesmo uma coisa pequena como uma gravata pode ajudar na adoção de um animal. Uma gravata borboleta é algo único e ajuda a revelar a personalidade do animal de estimação”.

Atualmente, Darius mora com a família em Newark (Nova Jérsei). Desde a primeira doação, no furacão de 2017, ele acredita ter feito e doado mais de 600 gravatas borboleta, a maioria para a ASPCA e para o Street Tails de sua cidade natal.

O estudante do oitavo ano do ensino fundamental (está terminando a “Middle school”). Na entrevista, ele afirmou que ainda não sabe em que área pretende se especializar, mas gosta muito da costura. “Gravatas de bolinhas, gravatas listradas, gravatas com patas de cachorro, com strass, cada gravata é diferente e eu gosto de fazer todas”.

adolescente-faz-gravatas-para-tornar-caes-de-rua-mais-atraentes

Os colaboradores dos abrigos beneficiados dizem que as gravatas borboleta de Darius ajudam bastante, especialmente no caso de cães mais velhos. Mesmo em fotos e vídeos, eles passam a ser mais notados e o acessório – que, na verdade, é um enfeite para os peludos – ajuda a acelerar os processos de adoção.

“Os animais que usam as gravatas borboleta encontram novos lares com muito mais facilidade, porque os interessados em adotar os acham instantaneamente charmosos”, disse Lorri Caffrey, diretora de um abrigo em East Hanover (Nova Jérsei), que recebeu o primeiro lote de acessórios há dois anos.

Caffrey disse que nunca tinha pensado em usar acessórios nos cachorros antes, mas percebeu rapidamente que eles fazem uma grande diferença. Algo que Darius já sabia pelo menos desde que o furacão desabrigou tantos cães e gatos na Flórida.

O adolescente já doou gravatas para os cachorros do presidente Joe Biden, Champ e Major. Ele confeccionou os dois acessórios com as cores da bandeira dos EUA e os encaminhou para a Casa Branca através da Humane Society de Delaware. Estes dois garotos-propaganda certamente seriam um grande avanço para o projeto deste jovem.

Darius atualmente trabalha em um projeto ambicioso. Ele está confeccionando gravatas borboleta em todos os momentos de folga e pretende doar pelo menos um lote a abrigos nos 50 Estados dos EUA. Até agora, ele já atingiu oito Estados, além do Distrito de Colúmbia.

Amaury Almeida Costa
Amaury de Almeida Costa ([email protected]) é redator publicitário há mais de 30 anos. Escreve para diversos blogs desde 2008. Presente nas redes sociais desde a época do Orkut, foi editor da revista Animanews, sucesso editorial do final dos anos 1990, que trazia informações sobre pets – além de cães, gatos e aves, trazia informações sobre répteis, anfíbios, peixes e invertebrados de estimação.
RELACIONADOS

Últimas Publicações