Cachorro pode comer mamão?

O mamão é benéfico para os cachorros, mas uma avaliação prévia da saúde é necessária.

Cachorro pode comer mamão? Quem gosta de mamão já deve ter se perguntado, durante o café da manhã, desfrutando a fruta enquanto o cachorro lança olhares insistentes, como se estivesse há dias sem comer, se o peludo pode comer a fruta.

A resposta é positiva: sim, cachorro pode comer mamão. Mas é necessário fazer uma avaliação prévia do animal e lembrar sempre que qualquer complemento à alimentação precisa ser compensado, seja com a redução do alimento regular, seja com um aumento da atividade física.

Cachorro pode comer mamão?

No caso das frutas, em função do alto teor de açúcares, a quantidade nunca deve exceder 10% do total de alimentos fornecidos diariamente. Os tutores também precisam observar eventuais reações, como desarranjos intestinais.

O mamão faz bem para os cachorros?

Quando se trata de dar frutas para os cachorros, os tutores precisam ter em mente que, se os peludos estão bem nutridos, elas funcionam apenas como um agrado extra. O mamão pode ser usado para um lanchinho a dois, em uma brincadeira ou como recompensa durante o treinamento.

O sabor adocicado e a textura da fruta madura costumam atrair o interesse dos cachorros. Por isso, não é difícil introduzir o mamão na dieta, mas tudo depende das preferências pessoais. Ele não é imprescindível e, por isso, se o cachorro não gostar, não vale a pena insistir.

O mamão é uma fruta pouco calórica: uma fatia pequena oferecida diariamente dificilmente provoca ganho de peso. Ele inclusive pode ser usado para acalmar a fome, no caso de cães submetidos a regimes para perder alguns quilos extras.

A fruta fornece boa quantidade de fibras. Elas não são aproveitadas pelo organismo canino, mas ajudam a regularizar o trânsito intestinal, aumentando o volume das fezes e facilitando a sua eliminação.

Ao contrário da fama de laxante natural que o mamão goza entre os humanos, ele não “solta o intestino” dos cães. Em outras palavras, ele combate a prisão de ventre e constipações, mas, sozinho, não é capaz de provocar diarreias.

De qualquer maneira, o efeito laxativo é muito suave, mesmo entre humanos (os “resultados miraculosos” são devidos, em grande parte, a um forte condicionamento psicológico). Por outro lado, as sementes torradas e moídas são um vermífugo natural especialmente eficaz no combate aos cestódeos (como a solitária) e ao Toxocara canis, que provoca a toxocaríase, ou larva migrans visceral.

O mamão é uma boa fonte de vitamina C. Apesar de esta substância ser importante para fortalecer o sistema imunológico, ela é produzida naturalmente pelo fígado dos peludos, que não precisam ingeri-las através dos alimentos.

Cachorro pode comer mamão?

Por outro lado, a vitamina C é um antioxidante poderoso. A carga extra fornecida pelo mamão contribui para o combate aos radicais livres, substâncias produzidas durante as diversas funções orgânicas que, acumuladas, causam envelhecimento celular precoce (o chamado estresse oxidativo).

A vitamina C (ou ácido ascórbico) também participa da produção do colágeno, proteína fundamental para o bom funcionamento das articulações e para a saúde da pele e dos pelos, e da constituição e reconstituição do esqueleto ósseo.

O mamão também fornece boas quantidades de vitamina A, nutriente que fortalece os globos oculares, prevenindo doenças como glaucoma e catarata (relativamente comum entre os animais idosos). A vitamina A também protege a pele e favorece a queratinização, fundamental para a boa aparência e a eficiência dos pelos e das unhas.

A fruta é uma excelente fonte de diversos minerais. Destacam-se o cálcio, magnésio e potássio. Em uma dieta equilibrada, vale lembrar, todos esses sais já estão presentes nas quantidades necessárias, de acordo com a idade, porte, sexo e nível de atividade física dos cachorros.

A papaína talvez seja o principal benefício do consumo de mamão pelos cachorros (e também por nós). Esta enzima atua na neutralização da acidez gástrica, preserva o fígado e o pâncreas. A substância previne gastrites e úlceras gástricas e duodenais.

As contraindicações

O mamão, como regra geral, pode ser oferecido a qualquer cachorro sem nenhum risco. As exceções são os animais que possuem alergias alimentares: alguns peludos se ressentem de qualquer alteração na dieta alimentar.

Antes de dar mamão para os cachorros, é importante conversar com o veterinário. A fruta pode ser contraindicada para os animais com doenças digestórias crônicas, como a doença inflamatória intestinal.

Os cães com o sistema digestório muito sensível também devem evitar mudanças na dieta: não devem ser introduzidos novos alimentos, a menos com a orientação médica. Vale o mesmo para os que apresentaram intolerâncias alimentares anteriormente.

Não existe nenhum estudo sobre o consumo de mamão por cadelas grávidas, mas a fruta deve ser evitada porque, entre as humanas, há suspeitas de que a papaína possa favorecer as contrações uterinas.

A casca do mamão nunca deve ser dada para os cachorros. Existe o risco de eles se engasgarem, devido à textura e firmeza. Além disso, o intestino canino (e o nosso também) não é capaz de digerir as cascas da fruta e, quando elas se acumulam, podem causar diarreias, vômitos ou desconfortos abdominais.

Já as sementes da fruta podem causar obstruções intestinais. Elas também são tóxicas, porque contêm alguns traços de extrato de clorofórmio. Entre os machos, o consumo regular de sementes de mamão está associado à queda significativa na produção de espermatozoides e também prejudica a motilidade destas células sexuais.

O mamão, portanto, deve ser servido sem casca e sem sementes, cortado em cubos, em tamanho condizente com o porte dos cachorros. É possível também congelar alguns cubos, para usá-los em brincadeiras nos dias mais quentes.

Receba notícias e histórias do Cães Online no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/caesonline.

Postagens Relacionadas