Cachorra separada dos filhotes adota gatinhos órfãos

Por: em

Após ser afastada dos filhotes, a cachorra Esperanza organizou uma família com gatinhos órfãos. 

Esperanza é uma cachorra sem raça definida – um vira-lata caramelo e branco – que foi recolhida a um abrigo quando tinha por volta de um ano de idade. Ela exibia sinais de parto recente, mas a equipe de resgate não conseguiu localizar os filhotes. 

Seguir Cães Online no Facebook

Ao chegar ao abrigo, a cachorra encontrou uma ninhada de gatinhos que também haviam sido separados da mãe. Sem a gata para amamentá-los, os bichanos corriam risco sério de morrer. Então, Esperanza decidiu adotá-los. 

cachorra-separada-dos-filhotes-adota-gatinhos-orfaos

Um sopro de esperança 

A história aconteceu em Playa del Carmen, cidade mexicana no Estado de Quintana Roo, na península de Yucatã. Esperanza tinha acabado de dar à luz quando uma equipe a resgatou das ruas. Não se sabe o que aconteceu com a ninhada. 

Provavelmente, os tutores de Esperanza não tomaram providências básicas: nem esterilizaram o animal, nem impediram que ela tivesse acesso às ruas. A cachorra provavelmente engravidou ainda no primeiro cio, sem nenhuma experiência. Então, a família humana a jogou na rua, como se fosse um objeto sem serventia. 

cachorra-separada-dos-filhotes-adota-gatinhos-orfaos

No mesmo dia em que Esperanza foi acolhida no abrigo, uma ninhada de gatos recém-nascidos também chegou ao local. A situação era inversa: a cachorra era uma mãe sem filhos e os gatos, filhos sem uma mãe. Os bichanos tinham apenas alguns dias de vida. 

Esperanza se mostrou um animal dócil e amigável. Durante o resgate, em nenhum momento ela mostrou agressividade ou medo. Mas a cachorra impressionava pela tristeza. Ela se mostrava ansiosa e inquieta, sempre procurando os filhotes. 

Nessa busca incessante, Esperanza encontrou os gatinhos. Imediatamente, a cachorra recolheu os filhotes, aninhou-os, lambeu-os e começou a amamentar. Os gatinhos precisavam de alimento, conforto, calor e amor materno e Esperanza tinha tudo isso para oferecer a eles. Os três filhotes se acostumaram rapidamente à nova mãezinha. 

Uma nova família 

Gentileza gera gentileza. Esperanza e os filhos adotivos adaptaram-se muito bem. Os gatinhos aceitaram bem o leito da cachorra e apegaram-se a ela instantaneamente. Mas a história estava longe de um final feliz. Seria possível alguém se interessar por uma cadela mãe de gatos, ou eles teriam de se separar? 

cachorra-separada-dos-filhotes-adota-gatinhos-orfaos

Evi Pover é uma psicóloga americana, residente em Atlanta, na Geórgia. Ela estava passando as férias na Riviera Maia com a família, quando decidiu visitar os animais de um centro de resgate de animais de Playa del Carmen. 

Ela escolheu o Coco Bienestar Animal. Depois de conhecer alguns animais, ela foi convidada para conhecer uma cachorra que estava cuidando de gatinhos. O Coco é uma entidade sem fins lucrativos que, além de resgatar e abrigar animais abandonados, também promove campanhas de esterilização e adoção responsável. 

cachorra-separada-dos-filhotes-adota-gatinhos-orfaos

A psicóloga percebeu imediatamente que havia surgido um laço forte entre Esperanza e o filho. Sem pensar duas vezes, Evi decidiu adotar a cachorra. A reunião familiar, no entanto, teve de esperar algumas semanas. 

Os gatinhos ainda eram muito frágeis e não sobreviveriam sem a mãe adotiva. Durante 15 dias, Esperanza permaneceu no centro de bem-estar, cuidando dos filhotes improvisados, até que eles naturalmente decidiram se afastar: estavam prontos para enfrentar o mundo. 

Esperanza também estava pronta para encerrar um capítulo triste da sua vida. Evi Pover e o filho Dan estavam ansiosos para levar a cachorra para casa. Foi Dan, aliás, quem resolveu batizar a cachorra de Esperanza, porque ela devolveu a esperança aos gatinhos órfãos. Em Atlanta, o nome foi simplificado para Espi. 

cachorra-separada-dos-filhotes-adota-gatinhos-orfaos

Evi ficou encantada com a cachorra. Aparentemente, Esperanza não estava acostumada com brinquedos e mimos. Mesmo a tigela de ração parecia ser estranha para ela. A cachorrinha precisou aprender a ter os utensílios e objetos próprios. 

Mas ela adora brincar e firmou uma bela parceria com Dan. A cachorra segue o menino por toda a parte e, à noite, se acomoda no pé da cama para velar pelo sono do companheiro. Definitivamente, Esperanza nasceu para cuidar e proteger. 

Mas ela também gosta de paparicos. Evi e Dan sempre trazem novos brinquedos para Esperanza, inventam jogos e a família se diverte unida. A cachorra parece ter superado totalmente os dias difíceis. Abandono e perdas ficaram para trás. 

Os gatinhos amamentados por Esperanza foram rapidamente adotados. Filhotes fofinhos, bonitos e saudáveis sempre têm grandes chances que encontrar uma família que aceite cuidar deles. 

Gostou? Siga o Cães Online no Facebook, Instagram e Google News