Cachorro que sofria maus tratos chora ao ser adotado

Ele chegou a ser queimado pela antiga dona. Quando foi adotado, o cachorro chorou de alegria.

Sebastian é um pinscher miniatura cujas marcas no corpo contam uma triste história. Ele tinha apenas dois anos quando, depois de sofrer com os maus tratos, teve boa parte do corpo queimada e foi expulso de casa pela antiga tutora.

O cachorrinho foi socorrido pela Sociedade Amor a Quatro Patas, uma entidade sem fins lucrativos mantida por voluntários que atua em Rio Branco. A associação, fundada em novembro de 2011, não possui sede nem abrigo para os animais.

Os cães e gatos resgatados são mantidos em lares provisórios (as casas dos próprios voluntários), até que a adoção seja providenciada. Amor a Quatro Patas vive de doações e mantém convênios com clínicas veterinárias da capital acreana, para cuidar dos animais que sofrem negligência e maus tratos.

Cachorro que sofria maus tratos chora ao ser adotado

Sebastian

A história do pinscher miniatura foi apresentada em diversas postagens da associação, que tiveram muita repercussão no Acre. Estephane Oliveira, uma jovem de 18 anos que trabalha como técnica administrativa e estuda Enfermagem, resolveu fazer a diferença em favor de Sebastian.

Depois de ter recebido os primeiros socorros, o cachorrinho precisava de um local para se recuperar dos ferimentos e queimaduras. Estephane decidiu acolhê-lo em casa, fornecendo a atenção veterinária básica, mas, acima de tudo, muito amor para o pinscher miniatura.

cachorro-que-sofria-maus-tratos-chora-ao-ser-adotado

Sebastian ainda estava internado na clínica em Rio Branco parceira da Amor a Quatro Patas quando conheceu a nova tutora. O cãozinho surpreendeu a todos quando chorou ao perceber que tinha a oportunidade de um novo início.

Apesar de os cachorros não chorarem como os humanos, com lágrimas, eles são capazes de manifestar sentimentos, como alegria e tristeza, medo e segurança, tranquilidade e ansiedade. Quem convive com um peludo sabe que eles conseguem rir e chorar.

À reportagem local, a jovem estudante disse: “Eu me emocionei muito com a história do Sebastian. Quando vi que ele tinha uma dona e ela foi capaz de queimá-lo e abandoná-lo, e que mesmo assim o cachorro continuava procurando-a, isto partiu o meu coração”.

Estephane já vivia com outros cinco cachorros (três da raça pinscher miniatura), mas não pensou duas vezes para adotar Sebastian. Na verdade, a convivência com outros peludos foi a motivação para levar o cachorrinho ferido para casa:

“O meu incentivo para adotar Sebastian é que eu tenho outros cachorros em casa e sei que eles gostam da gente de verdade. Podemos passar muitos dias longe, mas eles sempre nos procuram e choram. Sempre gostei muito de cachorro.”

Estephane está contando os dias para receber a guarda de Sebastian em definitivo. Ela já recebeu visitas da associação e vai todos os dias à clínica veterinária, para acompanhar o estado de saúde do cãozinho.

Apesar da expectativa, a jovem entende os cuidados que cercam a ação da Amor a Quatro Patas. Animais adotados precisam de um espaço saudável e de cuidados básicos, como alimentação, repouso, brincadeiras e cuidados médicos, além de muita dedicação e amor. Em troca, eles retribuem com lealdade toda a prova.

Abandono em Rio Branco

Por enquanto, a adoção de Sebastian ainda não é definitiva. Estephane obteve a guarda provisória oficialmente, mas o cachorrinho continua sob observação dos técnicos da clínica Cevet (Centro Veterinário Dr. Joaquim Medeiros, em Rio Branco).

A sociedade também continua acompanhando o caso e investiga os candidatos à adoção, para identificar as reais condições para receber um cachorro em casa. Os voluntários organizam diversas visitas, para verificar a adaptação do animal à nova rotina.

O motivo para tanto zelo é que Rio Branco, uma cidade de pouco mais de 413 mil habitantes, possui mais de dez mil cachorros e gatos nas ruas. O número é controlado pelo Departamento de Controle de Zoonoses, mas os abandonos voltaram a ser mais frequentes com a pandemia de Covid-19.

O serviço possui um convênio com a Secretaria do Meio Ambiente da capital para recolher os animais vadios, oferecer atendimento de saúde, castração e vacinação, para em seguida disponibilizá-los para eventuais adoções.

É importante lembrar que, no Brasil, os maus tratos contra animais de estimação são considerados crimes, com pena de detenção de até dois anos. E maus tratos não se resumem apenas a casos como o de Sebastian, que foi queimado pela tutora. Abandonar animais nas ruas pode ser enquadrado na mesma categoria penal.

VEJA TAMBÉM: Pitbull fica grávida de pinscher miniatura e recupera saúde após cirurgia

Receba notícias e histórias do Cães Online no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/caesonline.

Postagens Relacionadas